No litoral sul do Peru fica localizada a península de Paracas formada por um enorme deserto. Foi nesta região que o arqueólogo peruano Julio Tello teria feito a maior descoberta de toda sua carreira em1928. Seus esforços na época se deram na descoberta de um vasto cemitério escondido sob as areia e rochas daquela região.

De acordo com o portal Sempre Questione, Em um dos túmulos Tello teria encontrado algo bastante curioso, tratava-se de corpos muito estranhos, os quais possuíam os seus crânios em um formato alongado. Os crânios foram denominados de ''crânios de Paracas''. Tello teria encontrado um total de 300 crânios, os quais foram datados com cerca de 3000 anos.

Publicidade
Publicidade

As análises de DNA realizadas recentemente em alguns dos crânios apresentaram resultados surpreendentes os quais poderão desafiar a atual perspectiva da árvore evolutiva humana.

Civilizações antigas e algumas culturas costumam praticar o alongamento e a deformação dos crânios nas crianças para ficarem parecidas com seus deuses. Mas estas técnicas em nada se parecem com os resultados dos crânios encontrados em Paracas.

Segundo pesquisadores os crânios daquela região são totalmente diferentes dos crânios alongados de humanos. Os crânios do Peru são em média 25% mais grandes e 50% mais pesados do que um crânio humano no mesmo formato. Historiadores (ainda de acordo com o portal Sempre Questione) acreditam que estes crânios não poderiam terem sido modificados através das técnicas de alongamento tradicionais.

Publicidade

Os crânios também apresentam um estrutura totalmente diferente dos normais, com uma placa parietal diferente dos humanos. Foi esta diferença que aprofundou o mistério sobre os crânios de Paracas. Pesquisas de última geração não foram capazes de comprovar as suas origens.

O Museu Histórico de Paracas enviou 3 amostras, as quais foram submetidas a análises genéticas. As amostras consistiram em pele, cabelo, dentes e fragmentos dos ossos do crânio. O laboratório de genética não havia sido informado sobre a origem das amostras a fim de evitar resultados tendenciosos ou influenciadores.

Em um dos crânios descobriu-se que o DNA mitocondrial herdado da mãe apresenta mutações desconhecidas comparadas a qualquer ser humano ou primata. As mutações confirmam que estamos lidando com uma nova raça de seres diferentes dos Homo sapiens, ou neandertais. Os indivíduos de Paracas são muito diferentes dos seres humanos. '' Não temos a certeza de que eles possam pertencer a árvore evolutiva que conhecemos'', afirmou, de acordo com o portal Sempre Questione, um geneticista.

O que está intrigando os pesquisadores é quem eram estas pessoas. Será que evoluíram na Terra, ou vieram de um outro lugar que não conhecemos? O certo é que a atual descoberta está levantando mais perguntas do que respostas. #Entretenimento #Dicas #Curiosidades