Nesta quinta-feira, dia 21, vários deputados estiverem em reunião com o principal objetivo de discutirem as várias polêmicas que se têm verificado em relação às leis de acolhimento de refugiados e imigrantes. A votação das propostas do primeiro-ministro será realizada na próxima terça-feira, dia 26.

A Hungria já tinha tomado várias medidas em relação à crise de #Refugiados que tem afetado de forma muito evidente o continente europeu. Este país decidiu colocar em vários locais da sua fronteira várias vedações de arame farpado para evitar ao máximo que os refugiados e imigrantes consigam passar esta fronteira e invadam a Hungria.

Publicidade
Publicidade

Desta vez, a Dinamarca tem sido alvo de todas as atenções em nível mundial porque decidiu estabelecer várias leis anti-refugiados que vão contra ao que a #União Europeia (UE) tem defendido nestes últimos tempos.

Na próxima terça-feira, dia 26, irá se realizar a votação de várias leis na Dinamarca. O Parlamento pode vir aprovando medidas como a confiscação de vários bens pessoais dos refugiados e imigrantes ao longo de toda a fronteira. Outra medida que poderá ser aprovada é o alargamento para 3 anos do tempo de espera que o refugiado tem para pedir a reunião da sua família na Dinamarca. Este processo pode demorar vários anos desde que o pedido por parte do refugiado ou imigrante é feito na Dinamarca.

De todas as medidas que vão a votação na próxima terça-feira, a que tem gerado maior conflito e discussão em nível mundial é a lei que permite à guarda-costeira da Dinamarca a verificar todos os bens pessoais que estas pessoas trazem consigo uma vez que os guardas-costeiros dinamarqueses terão de revistarem todas as malas dos refugiados à procura tanto de dinheiro como de vários bens pessoais que totalizem um valor superior a 10.000 coroas dinamarquesas (o que equivale a R$ 5.811 reais no Brasil).

Publicidade

De acordo com os dados recolhidos pelo jornal Público, se os bens confiscados pela guarda-costeira não tiverem valor sentimental, todas as jóias ou qualquer aparelho tecnológico (celulares, computadores e outros) serão confiscadas pelas autoridades para ajudarem a Dinamarca a conseguir suportar todos os custos de acolhimento destas pessoas. #Crise migratória