Os terroristas do #Estado Islâmico não perdem tempo quando o assunto é atrair novos combatentes em sua luta incessante de aterrorizar o mundo. Dessa vez, os radicais islâmicos usam o nome do cantor canadense Justin Bieber para levar sua mensagem de ódio à mais pessoas pelo mundo.

Vendo que o cantor é um dos cantores jovens mais influentes do mundo e um dos cinco com mais seguidores nas redes sociais, o grupo decidiu usar o seu nome durante a divulgação de um vídeo. A maior parte do 74 milhões de seguidores do cantor são jovens, e por isso o grupo divulgou o vídeo com uma hashtag do nome do artista, o que atraiu milhões de acessos ao conteúdo do vídeo.

Publicidade
Publicidade

O Estado Islâmico busca combatentes em todo o mundo, a fim de poder concretizar os seus planos de transformar todos os países em um só califado seguidor da sharia. Os jihadistas usam as redes sociais para fazer propaganda da vida de combatente, bem como para divulgar vídeos de execuções e treinamentos diversos. Através da internet eles comemoram ataques, como o massacre de Paris em novembro do ano passado, e fazem ameaças à diversos países.

No Brasil já foram interceptadas tentativas do EI em recrutar jovens, bem como haviam pessoas interessadas em sair do Brasil para 'lutar por alah' em território sírio. As interceptações foram feitas pela ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) e Polícia Federal. A descoberta fez com que houvesse um investimento mais forte na segurança das Olimpíadas desse ano, a fim de evitar um possível ataque quando chefes de Estado de todo o mundo estiverem no Brasil.

Publicidade

No final do ano passado, a polícia prendeu uma quadrilha de libaneses que faziam lavagem de dinheiro em São Paulo para financiar o EI na Síria, bem como uma outra quadrilha foi presa no Rio de Janeiro por 'abrasileirarem' supostos refugiados sírios, que assim que obtinham documentos falsos, viajavam para a Europa ou Estados Unidos sem deixar rastros. Os nomes e documentos usados eram pertencentes à pessoas reais que se registraram em um cartório do Rio. #Terrorismo #Justin Bieber