E o dia termina mais triste em Camarões, o país foi alvo de mais um ataque terrorista, desta vez o país foi alvo de quatro homens bomba que atacaram o vilarejo de Bodo, na região norte do país nessa segunda-feira, 25.

O governo de Camarões atribui autoria dos ataques ao grupo terrorista Boko Haram. O ataque foi feito com quatro homens-bomba e deixou 35 pessoas mortas, os ataques aconteceram em três locais distintos.

Com informações das autoridades locais, o ataque mais prolifico foi realizado no mercado de Bodo, região de fronteira entre Camarões e Nigéria, neste local dois terroristas detonaram seus coletes suicidas. Os outros dois extremistas detonaram seus explosivos em partes distintas do vilarejo.

Publicidade
Publicidade

O grupo Boko Haram atua de forma massiva na Nigéria, que faz fronteira com Camarões.

Além dos 35 mortos na atividade terrorista, outras 65 pessoas ficaram gravemente feridas. Todas foram encaminhadas para o hospital de Kousseri, uma cidade próxima ao vilarejo e também localizada ao norte do país.

Issa Tchiroma Bakary que é ministro das Comunicações de Camarões, afirma que o Boko Haram foi quem enviou os extremistas para Bodo, e arquitetou todo planejamento do ataque terrorista.

Respondendo os ataques recebido em seu país, o Exército camaronês atacou bases dominadas pelo grupo extremistas na cidade de Achighashia na Nigéria. Ainda de acordo com comunicado do governo de Camarões, 17 membros da milícia Boko Haram foram mortos.

Lembrando que há pouco mais de uma semana um jovem de 14 anos atacou uma mesquita nesta mesma região, onde vitimou quatro fieis, e poucos dias antes aconteceu outro ataque terrorista onde morreram 13 pessoas em um templo islâmico.

Publicidade

Desde que se posicionou contra as milícias e sempre com foco em destruí-las, Camarões se tornou alvo de constantes ataques terroristas. Mas Camarões não trabalha sozinho nessas operações, colaboraram também Níger e Chade.

Apenas em 2015 a milícia Boko Haram vitimou mais de 3.000 pessoas, apesar de ter perdido o controle em uma ampla região em que dominavam que compreende um longo território entre Nigéria e Chade. O grupo terrorista até então atuava de maneira independente mais em março de 2015, jurou total respeito e lealdade ao Estado Islâmico. #Terrorismo #Estado Islâmico