Uma mãe vai a tribunal, onde poderá ser acusada pela morte da sua bebê de apenas dois anos. Danielle Parsons, de 23 anos, estava dirigindo o carro que acabou embatendo contra uma árvore. No banco de trás, seguia sua filha Esmee Parsons, que não resistiu aos ferimentos. Com testemunhas no local e após as perícias policiais, foi considerado que a condução de Danielle foi perigosa e arriscada. Agora, a mãe vai mesmo ser julgada no tribunal de Birmingham, na Inglaterra, no próximo dia 2 de fevereiro. 

O acidente rodoviário aconteceu no último ano, em abril, após alegada condução perigosa da parte de Danielle. A consequência mais grave foi a morte da filha da condutora, apesar de todos os esforços para salvarem a menina.

Publicidade
Publicidade

Logo no local do acidente, várias pessoas, incluindo um estudante de medicina, iniciaram os primeiros socorros. Os paramédicos assistiram a menina que acabou morrendo, pouco depois, no hospital para onde foi transportada.

Mãe vai ser julgada

O acidente aconteceu a 30 de abril de 2015 e, segundo a polícia conseguiu apurar, a mulher perdeu o controle do carro, saiu da estrada e foi embater forte contra uma árvore. Uma porta-voz da polícia de West Midlands disse que Danielle Parsons será presente aos magistrados no Tribunal de Birmingham. "Ela está acusada de causar a morte por condução perigosa e causar ferimentos também por condução perigosa", revelou a porta-voz, em declarações no jornal Daily Mail. 

Danielle está então acusada por dois crimes, arriscando pena de prisão, se acabar sendo culpada pela morte da própria filha. 

Família não esquece bebê

A #Família de Esmee recorda o sorriso da bebê.

Publicidade

Apesar de ter vivido somente dois anos, a bebê cativou todos em seu redor "por seu sorriso e alegria contagiante", escreveu Alana Mary, tia da menina, em sua página do Facebook. Também um tio, Brendan O'Reilly, recordou Esmee, fazendo referência ao seu sorriso: "Ela estava sempre sorrindo". 

E o leitor, considera que a mãe da criança merece ser condenada pela morte da própria filha? Deixe sua opinião, na caixinha de comentários mais em baixo.  #Justiça