Na terça-feira passada, dia 5 de Janeiro, aconteceram mais dois naufrágios ao longo da costa ocidental da Turquia. Desta vez, foi informado que pelo menos vinte pessoas morreram, incluindo várias crianças, de acordo com os dados recolhidos pela agência de notícias turca "Dogan".

A embarcação que partiu primeiro saiu da região oeste de Dikili e tinha como destino final a ilha grega de Lesbos. Segundo a polícia marítima, é possível que esta embarcação tenha naufragado devido aos ventos fortes que se fizeram sentir na última terça-feira nesta região do mar Egeu. Esta embarcação levava no total 22 pessoas, a guarda costeira da Turquia conseguiu salvar 8 delas.

Publicidade
Publicidade

Os corpos de treze pessoas já foram encontrados pela guarda costeira turca, numa praia que se situa muito perto do distrito de Ayvalin. Esta informação foi dada pelas autoridades locais, em um último balanço feito.

A outra embarcação tinha no total 58 refugiados. Esta embarcação naufragou muito perto ainda da zona balnear de Dikili. De acordo com o balanço feito pelas autoridades turcas, foram encontrados os corpos de sete pessoas, já sem vida, desta embarcação, também numa praia muito próxima do local onde a embarcação naufragou.

A polícia divulgou também que foram encontrados os corpos de algumas crianças e mulheres. Alguns dos migrantes encontrados com vida foram imediatamente hospitalizados porque se encontravam num estado de hipotermia, de acordo com a mesma agência de notícias.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) já divulgou que no ano passado, em 2015, cerca de 700 pessoas no total, incluindo #Refugiados e migrantes, perderam a vida no mar Egeu porque tentavam chegar à Grécia, à procura de melhores condições de vida.

Publicidade

A Grécia é um dos destinos mais escolhidos pelos refugiados porque permite a entrada na União Europeia (UE).

A maioria dos refugiados encontrados mortos no ano passado partiram da Síria e do Iraque para tentar fugir dos conflitos e guerras que se têm sentido nos últimos tempos nestes países.  #Terrorismo #Crise migratória