A polícia encontrou os corpos de uma mulher e de um homem já se decompondo, dentro do apartamento, em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América. Mas, de acordo com a investigação, já teria passado mais de uma semana desde que foram mortos. A filha da mulher, uma menina de 15 anos, já teria admitido ter sido ela a matar os dois. As vítimas são a própria mãe, de 38 anos, e o namorado desta, de 40 anos. Mas também ela poderia ser uma vítima, mas dos abusos sexuais do namorado da própria mãe. 

Após ter sido detida pela polícia, a menina teria contado que matou a mãe e o namorado, mas se justificou. Com 15 anos, a menina contou ter sido estuprada diversas vezes pelo companheiro da mãe. 

Justiça pelas próprias mãos? 

Para além dos diversos abusos sexuais sofridos nas mãos do namorado da mãe, a menina teve, alegadamente, que viver com a indiferença dela, de seu nome, Rosie Sanchez.

Publicidade
Publicidade

A filha teria revelado para a mãe sobre os abusos, mas esta desvalorizou e não deu ouvidos para suas queixas, deixando que tudo ficasse na mesma. 

Sem proteção de sua mãe , a garota teria ficado enfurecida e tomou medidas de extrema violência, disparando contra a própria mãe, matando ela com um tiro no pescoço. De acordo com o New York Post, o alegado estuprador foi encontrado morto no chão da cozinha, com um tiro nas costas e esfaqueado no abdômen. 

Após os crimes, a menina teria fugido para casa de uma prima. E teria sido ela a desvendar todo esse mistério que durou uma semana, quando começou desconfiando do comportamento mais comprometido da prima de 15 anos, e também por não saber nada sobre a mãe dela. 

Confrontada com as perguntas e desconfianças da prima, ela acabou confessando os crimes.

Publicidade

Quando a polícia chegou no apartamento da mãe, encontrou os corpos já em estado de decomposição. Mais tarde, a alegada homicida teria confessado ter matado os dois, no dia 27 de dezembro, revelando os contornos que se conhecem. 

A polícia vai agora tentar apurar essas suspeitas de estupro e de abusos sexuais, bem como a forma como tudo aconteceu e se a menor teria atuado sozinha ou mesmo com ajuda de sua prima. Enquanto isso, a menina vai continuar detida.  #Família #Crime #Casos de polícia