Mais uma polêmica surge no currículo do político americano, Donald Trump. Nessa sexta-feira, 8, um casal de muçulmanos foi retirado à força de um comício de sua campanha para a presidência dos Estados Unidos. O ato foi aplaudido pelos presentes e os muçulmanos foram hostilizados.

Tudo começou quando a mulher, caracterizada com as vestimentas do islã, ficou parada vestindo uma camiseta verde escrito: "Salam (que a paz esteja sobre você). Eu venho em paz". Mesmo sem dizer nada, a ideia era mostrar que apesar do extremismo de grupos radicais islâmicos, nem todo muçulmano é perigoso, sendo que muitos deles não concordam com as crueldades feitas supostamente em nome de alah.

Publicidade
Publicidade

Ao lado dela estava um homem, também muçulmano, mas com vestimentas comuns e que foi agarrado pelos policiais e retirado do local.

A muçulmana hostilizada por uma multidão após ser notada e expulsa é Rose Hamid, uma aeromoça de 56 anos. O homem que estava ao seu lado não teve o nome divulgado, mas ela conferiu uma entrevista rápida ao canal de notícias CNN, onde disse que quando todos se sentaram ela permaneceu de pé olhando para o palco e que imediatamente os policiais foram retirá-la do local. Hamid conta ainda que as pessoas a hostilizavam e gritavam que ela estava com uma 'bomba'. Também apontavam os cartazes com o nome de Trump para ela e o homem que a acompanhava enquanto subiam escoltados as escadarias rumo saída.

Um futuro presidente polêmico

David Trump lidera as pesquisas para a presidência dos Estados Unidos, com pequena diferença em relação a Hillary Clinton.

Publicidade

Trump declarou publicamente que se vencer as #Eleições vai proibir a entrada de muçulmanos nos #EUA. A declaração gerou protestos de adeptos ao islã e aplausos de milhões de americanos que acreditam que todos os muçulmanos são terroristas.

Críticos e oposicionistas de Trump o acusam de fazer discursos de ódio e Hillary Clinton chegou a dizer que ele é 'o principal recrutador do EI'. Recentemente foi divulgado um vídeo em que membros da Al-Qaeda usam falas de Trump durante o treinamento dos combatentes. #Terrorismo