Rose Hamid, aeromoça de 56 anos, foi expulsa de um comício do pré-candidato republicano Donald Trump na Carolina do Sul, na última sexta-feira (8). Ela fazia um protesto silencioso contra o projeto de Trump que proíbe a entrada temporária de muçulmanos nos Estados Unidos. Hamid estava com uma camiseta verde que estampava a seguinte frase: Salam, I come in Peace (Venho em paz) e também usava um lenço branco na cabeça.

Hamid permaneceu em pé e em silêncio olhando para o palanque de Trump enquanto o candidato apresentava a proposta de bloquear temporariamente a entrada dos muçulmanos no país. No momento que a mulher estava em pé, um dos militantes gritou que ela tinha uma bomba.

Publicidade
Publicidade

Isso causou um grande alvoroço e a mulher teve que ser retirada pelos seguranças. Ao caminhar para fora do local, Hamid era confrontada por militantes que erguiam cartazes com o nome do pré-candidato à presidência.

Há algum tempo que Donald Trump vem lutando para conseguir bloquear a entrada de muçulmanos nos #EUA. Definitivamente, esse é um dos projetos que tentará pôr em execução caso seja eleito presidente. Segundo a CNN, logo após Hamid ter sido retirada do comício, Trump declarou: “Há um ódio contra nós que é inacreditável”, segundo a mesma fonte, Hamid contrapôs afirmando: “é o seu ódio, não o nosso ódio”.

Em dezembro do ano passado, os EUA sofreram um ataque de dois muçulmanos simpatizantes do Estado Islâmico na cidade de San Bernardino, deixando 17 feridos e 14 mortos. São situações que estão fortalecendo o pedido de Trump de fechar as portas aos muçulmanos.

Publicidade

Sobretudo, a maneiro como Trump tem se referido a isso tem causado desconforto do lado dos democratas.

Hillary Clinton, em um debate do partido Democrata, no dia 20 de dezembro do ano passado, segundo a Globonews, chamou o republicano de “perigoso e vergonhoso” por causa de suas declarações contra os muçulmanos, ela ainda disparou contra Trump dizendo que “ele é o maior recrutador do Estado Islâmico”, ainda disse que atitudes como a de Trump de tentar fechar as portas aos muçulmanos são declarações para acirrar os ânimos entre os seguidores do islamismo. Desde os ataques terroristas a Paris em novembro do ano passado e o ataque em São Bernardino em dezembro, os muçulmanos têm enfrentado reações públicas nos Estados Unidos. #Comportamento