O primeiro livro lançado pelo Papa Francisco desde que foi eleito vem com o título "O Nome de Deus é Misericórdia", e será lançado em seis idiomas, inclusive em português. O livro surgiu de conversas com o jornalista italiano do jornal "La Stampa", Andrea Tornielli, especializado em assuntos do Vaticano. 

A obra trata de assuntos considerados polêmicos dentro da #Igreja, como homossexualismo, nulidade matrimonial e a crise de refugiados, assunto no qual o líder da igreja católica tem se engajado, na busca por soluções que ajudem a amenizar o sofrimento das vitimas das guerras nos países de origem. O livro de Francisco traz também referências à proclamação do Jubileu da Misericórdia (Misericoriae Vultus), explicando os motivos desta proclamação. 

O livro escrito pelo Papa Francisco será lançado simultaneamente em 86 países, e estará disponível inicialmente em 6 idiomas: alemão, italiano, francês, inglês, espanhol e em português.

Publicidade
Publicidade

A cerimônia de lançamento será nesta terça-feira (12) no Vaticano, no Instituto Augustiniani. Na segunda-feira (11) o Papa recebeu a primeira copia da editora e uma das curiosidades é que o titulo do livro, impresso na capa, foi escrito de próprio punho por Francisco. 

"O Nome de Deus é Misericórdia" é o primeiro livro de Jorge Bergoglio desde que foi eleito Papa em março de 2013 e defende ideias de que a "Igreja não está no mundo para condenar", mas sim para levar à "Humanidade, que tem feridas profundas", uma mensagem de misericórdia e socorro espiritual. 

Francisco defende a ideia de uma igreja mais participativa, que saia de dentro das paróquias e vá ao encontro das pessoas que estão em sofrimento, e argumenta que "para isso [...] é necessário sair das igrejas e das paróquias" e ir ao encontro delas "onde vivem e sofrem".

Publicidade

O livro de 150 páginas tem no seu conteúdo perguntas e respostas apelativas e dirigidas principalmente aos líderes católicos, onde Francisco cobra mais socorro, tanto espiritual como material, às vitimas das diferenças e do pecado, frisando que o pecador precisa e merece misericórdia e não julgamento e condenação, e reforça que o mundo não será melhor sem isso. 

O livro tem público garantido, não só pela popularidade do autor, mas também pelo seu ativismo, que já influenciou assuntos como o restabelecimento das relações entre Cuba e EUA. O mundo conta hoje com de cerca de 2 bilhões de pessoas que professam a fé cristã, tendo como o catolicismo sua principal religião, sendo o Brasil o segundo maior em número de católicos, ficando atrás somente dos Estados Unidos. Em junho de 2015 o Vaticano lançou também em várias línguas, a encíclica "Laudato Si", que foi um sucesso mundial de vendas. #Família