Carl Cope, de 47 anos, morreu no parque de estacionamento de um hospital, após cair no chão por ataque cardíaco. Perto estava Matt Geary, de 36 anos, o paramédico que levou ele, de ambulância,  para o hospital. Ao reparar na queda do homem, ele se aproximou mas andou circulando, com as mãos nos bolsos, por vários minutos. As câmeras de segurança filmaram tudo mas o paramédico manteve, agora, seu emprego, após uma suspensão de oito meses. O maior mal foi de Carl, que acabou por morrer. 

Por não ter ajudado, nem ter chamado ajuda rápida, Matt Geary foi mesmo levado a tribunal, acusado por comportamento negligente e por ter falhado no cumprimento de seu dever, enquanto paramédico de serviço. 

"Insensível e indiferente"

Para o juiz John Warner, do tribunal de Wolverhampton, o paramédico mostrou ser "insensível e indiferente" com a vida dos outros.

Publicidade
Publicidade

Matt Geary foi chamado para ir a tribunal, em fevereiro de 2015, onde admitiu ter falhado seu dever de "ajudar o paciente" e disse ainda estar "muito arrependido", lamentando a more de Carl Cope. 

Geary foi ilibado de pena de prisão mas apanhou uma suspensão de oito meses. Mas, para o juiz, o homem não deixou apenas de cumprir seu dever no trabalho, mas sua ação também mostrou suas falhas enquanto homem: "Você não fez nada para ajudar como um paramédico, ou como um ser humano", falou o juiz John Warner, citado pelo jornal Daily Mail. 

Na defesa do paramédico, o advogado Simon Hoyle concordou que seu cliente foi negligente, mas que agora nada adiantaria ficarem suspendendo ele de seu trabalho. "Ele continua sendo competente e suspender ele não vai trazer nada de bom", considerou o advogado. 

Matt Geary não só assumiu sua culpa, como viu ainda o painel de jurados reconhecerem que nada garante que a morte de Carl Cope se ficou devendo ao comportamento negligente do paramédico.

Publicidade

O homem enfartou e, mesmo que ele tivesse chamado ajuda mais rápido e que tivesse colaborado, poderia ter morrido. Por isso mesmo, o Conselho de Profissionais de Saúde já levantou sua suspensão e ele poderia continuar trabalhando de paramédico. 

E o leitor, concorda com essa decisão? Ou pensa que esse paramédico não tem mais condições para exercer seu trabalho? Deixe sua opinião. 

Assista o vídeo do homem caindo no chão e sem ajuda do paramédico (as imagens podem chocar)

#Europa #sistema de saúde #Casos de polícia