Catedrático no assunto, Manuel Cuevas foi entusiasta ao revelar os resultados de suas pesquisas ao jornal La Voz Digital, afirmando  ter localizado a cidade de Atlântida descrita pelo filósofo grego Platão.Segundo seus achados, ela está submersa onde atualmente se localiza o Parque Nacional Doñana em Andaluzia, na Espanha – curiosamente foi por onde ele iniciou seus estudos e, depois de muito trabalho, logrou revelar ao mundo sua descoberta.

Ele baseou sua pesquisa em imagens de satélite feitas na região onde Platão afirmou ter existido a cidade. De acordo com Cuevas, as fotos mostram a existência de diversas estruturas construídas artificialmente e que formariam uma grande cidade antiga.

Publicidade
Publicidade

Ele explicou aos jornalistas os detalhes nas fotos que, segundo ele, dava para perceber tratar-se de muralhas, ruas e até mesmo dava para identificar um edifício contendo uma cúpula gigantesca. Estes vestígios, afirma, revelam a existência de uma grande cidade com estrutura circular e  considerável extensão em torno de oito quilômetros.

Manuel não desanimou com as críticas e desconfiança da comunidade científica e arqueológica. Recebeu apoio do Mestre em Arqueologia da Universidade de Sevilla, Ramón Caroz  que pediu cautela e solicitou apoio ao Ministério da Cultura espanhol para que possam, em conjunto, iniciar um mapeamento do solo oceânico, buscando evidências e utensílios ou gravações que identifiquem a origem e a data provável desta civilização.

Continente perdido

Apesar de muitos cientistas afirmarem que a Atlântida nunca existiu, não passando de uma criação de Platão, há quem afirme o contrário.

Publicidade

Mas segundo este filósofo grego, Atlântida foi uma ilha continente, abrigando uma civilização extremamente avançada tecnologicamente, em todos os campos imagináveis desde carros voadores, escalas e calçadas rolantes. Contudo, e de acordo com os relatos deixados, a Atlântida sucumbiu moralmente e foi destruída da noite para o dia – vítima que foi de um violento tsunami, numa lenda que apresenta algumas semelhanças com a lenda da Arca de Noé. O seu paradeiro ainda é um mistério. #História #Curiosidades #Chuvas Torrenciais