Carlos Manuel Paçó, líder do Concelho do partido CDS de Torre de Moncorvo, em Portugal, está sendo julgado por abuso sexual de uma criança menor. O caso vai ter a terceira sessão de julgamento na próxima semana, mas só agora foi tornado público. Com as sessões decorrendo de porta fechada, o caso está sendo julgado em total segredo. O político português está sendo acusado do estupro de uma menina de 13 anos, e a política portuguesa está sendo novamente envolvida com um caso de abuso sexual. 

Como ele se aproximou da vítima

De acordo com o jornal digital Notícias Ao Minuto, o político português conhecia a vítima por frequentar os mesmos espaços, uma vez que a menina, de 13 anos, acompanhava o pai em algumas saídas.

Publicidade
Publicidade

O pai da criança era amigo do político do CDS e eles acabavam se relacionando. Quando os abusos aconteceram, em 2012, o suspeito tinha 31 anos e caçava junto com o pai da menina, de quem viria a abusar sexualmente. 

O homem teria se interessado pela criança e até enviava algumas mensagens por celular, para estar com ela. A criança teria sempre recusado os convites do homem, mas acabou cedendo, alguns meses mais tarde. Em 23 de abril, o homem teria conseguido se encontrar com a menina, em uma rua perto da escola que a garota de 13 anos estava frequentando. 

Após se encontrar com ela, levou a menina para sua casa, onde acabou consumando a relação sexual, apesar da menina  ter "inicialmente recusado". 

O político Carlos Manuel Paçó está sendo julgado desde novembro passado, no tribunal de Bragança. 

Abusos sexuais na política portuguesa

A acusação de estupro contra um político não é caso inédito em Portugal.

Publicidade

Em 2002, o maior caso de pedofilia em Portugal ficou conhecido por 'Processo Casa Pia', onde foram acusadas várias personalidades portuguesas, por estupro e abusos sexuais de crianças institucionalizadas no referido orfanato Casa Pia. Entre eles, um dos mais notórios foi o deputado do Partido Socialista (PS) Paulo Pedroso, que acabaria não sendo condenado, na época com algumas críticas à #Justiça portuguesa. #Europa #Casos de polícia