O presidente do Irã Hasan Rowhani deu início nesta segunda-feira, 25, o que vem a ser a primeira visita de Estado de um presidente do Irã à #Europa em quase vinte anos, sua viagem teve início na Itália.

Após a reunião com Hasan Rowhani, Matteo Renzi que é primeiro-ministro da italiano afirmou em entrevista que Rowhani e seu país assumiram um papel de extrema importância para que venha em breve surgir no Oriente Médio uma maior estabilidade.

De acordo com Matteo Renzi, o ‘Grande Acordo’ firmado entre o Irã e o grupo das seis maiores potências mundiais o famoso 5+1, que é composto de Alemanha, França, Reino Unido, Rússia, EUA e China, onde o acordo prevê limitar as atividades nucleares desenvolvida em Teerã.

Publicidade
Publicidade

Renzi complementa “este foi o primeiro passo para um novo tempo de estabilidade e paz, em toda região e não apenas no Irã”.

Com entusiasmo Renzi ainda complementa, “Se com diálogo e negociação conseguimos chegar a um acordo nuclear, então não tem um fator limitante para que venhamos chegar em um acordo sobre a situação atual da Síria”

A Síria vive nos últimos cinco anos uma intensa guerra civil, onde boa parte de se território é dominada por rebeldes que não reconhecem a legalidade do ditador Bashar al-Assad, outras regiões dominadas por células terroristas do grupo Estado Islâmico, e ainda outro grupo paramilitar intitulado Hizbullah que é financiado pelo Irã e apoia a permanência do ditador.

Nesta primeira viagem Hasan Rowhani passará por dois países, sendo eles à França e à Itália, terá uma duração de quadro dias.

Publicidade

Esta primeira viagem diplomática acontece poucos dias após o país demonstrar que todas as metas do acordo nuclear foram cumpridas. Após o reconhecimento do grupo 5+1, as sanções econômicas impostas pela #União Europeia e dos Estados Unidos foram revogadas.

Junto com o presidente Hasan Rowhani viaja uma comitiva de 120 pessoas entre elas empresários dos mais diversos seguimentos econômicos do país e também conta com o ministro do petróleo e gás. Se faz importante a participação do ministro de petróleo e gás pelo fato do Irã figurar a lista dos maiores produtores mundial de petróleo e agora sem as limitações comerciai o país busca reativar antigas e criar novas parcerias comerciais, para fomentar a economia local.

A princípio estava previsto para novembro de 2015 a viagem diplomática, mas foi postergada em virtude dos atentados terrorista em Paris.