O presidente da Rússia, Vladimir Putin disse no último dia 19/01, terça-feira, que todos os judeus que não se sentem seguros e que estão fugindo da #Europa Ocidental por causa da violência anti-semita, deveriam sim, se mudar para a Rússia. Putin fez questão de frisar com um largo sorriso no rosto, que a mesma União Soviética, que os judeus se utilizaram para ir embora, agora os permite voltar com liberdade. 

Putin na realidade tem plena consciência de que o fator "segurança" diminuiu nos últimos tempos devido a uma série de fatores para os judeus residentes na Europa Ocidental, e vale frisar de que esta condição adversa não é dirigida unicamente para os judeus que lá nasceram, mas sim para os que lá residem, o que agrava a situação.

Publicidade
Publicidade

Ou seja, há uma perspectiva relativamente sólida no horizonte de que pode ocorrer um novo êxodo do povo judeu daquela região do planeta.  

Moshe Kantor que é o atual presidente do CJE - Congresso Judaico Europeu foi o responsável por emitir um aviso na ocasião de um encontro formal entre o presidente Vladimir Putin e os representantes ou delegados de sete países membros do Congresso Judaico na Europa, que ocorreu em Moscou. 

Nesse comunicado, Kantor fez questão de frisar e deixar bem claro, que o povo judeu foi mais uma vez na história, alvo para a ação de grupos terroristas em escala global, assim como nos ataques executados em novembro de 2015 em Paris na França, nos Estados Unidos e outros locais. Moshe Kantor também evocou o assassinato massivo e consciente de cidadãos russos na planície do Sinai no Egito, quando um avião fretado da Rússia com turistas, foi derrubado por uma explosão terrorista no seu interior. 

Enfim, “isso mostra que os terroristas atacam a todos", disse Kantor na reunião do Congresso Judaico Europeu que ainda contou com a presença de delegados judeus enviados da França, Grã-Bretanha, Áustria, Bélgica, Espanha Letônia e Suíça. 

O presidente do CJE falou ao presidente russo, Putin, de que existe um movimento bastante real da saída dos judeus de determinadas áreas do continente europeu, pois esses mesmos não estão se sentindo mais seguros como há uma década atrás. 

O líder da comunidade de judeus na Europa, Moshe Kantor, teve como lugar de nascimento o que hoje é a Rússia e ainda tem empresas e negócios naquele país.

Publicidade

Kantor literalmente, de novo ressaltou que as "nações pragmáticas" devem unir-se "em derrotar o #Terrorismo global, que está sendo conduzido pelo chamado EI - Estado Islâmico". 

Os líderes judeus presentes ao singular encontro com Vladimir Putin, demonstraram satisfação com o decréscimo estatístico do antissemitismo na outrora Rússia comunista; entretanto, se esse êxodo dos judeus da Europa Ocidental realmente acontecerá; se a Rússia os receberá de braços abertos; se o EI será dizimado; se EUA, China, Rússia; Coréia do Norte e outras nações conseguirão viver em paz e segurança, somente os próximos capítulos da história humana conseguirão trazer as respostas. #Israel