As temperaturas têm descido cada vez mais nesta travessia dos Balcãs, por onde passam muitos migrantes e #Refugiados todos os dias. Os médicos que têm estado atuando neste local afirmam que o número de pessoas doentes aumenta cada vez mais porque a temperatura tem atingido valores muito baixos.

De acordo com os dados recolhidos pela chefe de uma equipa da organização não governamental International Medical Corps (IMC), Sanja Djurica, na semana passada as temperaturas eram mais altas e por este motivo o número de pessoas com doenças que passavam ali era menor do que tem sido esta semana, porque a temperatura atingiu valores muito negativos de cerca de onze graus negativos em alguns locais.

Publicidade
Publicidade

Segundo Sanja Djurica, na semana passada apanhavam, em média, cerca de cinquenta a sessenta pessoas por dia. No entanto, com a diminuição das temperaturas, esta semana tem atendido cerca de cem pessoas todos os dias. A chefe da organização acrescentou ainda que, na maioria dos casos, os refugiados e migrantes apresentam doenças respiratórias provocadas, na sua maioria, pelo frio que se tem sentido.

Os Médicos sem Fronteiras também têm estado na travessia dos Balcãs para tentarem ao máximo ajudarem os refugiados e migrantes que por lá passam já infetados com alguns vírus. De acordo com os Médicos sem Fronteiras, muitos dos casos que passam por lá são de pessoas já com um nível avançado da gripe (muitas vezes já com bronquites).

No entanto, a maioria dos refugiados não quer fazer o tratamento que devia, e que seria mais adequado para curar as doenças respiratórias que apresentam, porque têm medo de perder tempo.

Publicidade

Os refugiados afirmam que não podem perder tempo porque depois pode já ser tarde de mais e, deste modo, as fronteiras podem já estar fechadas, não permitindo que eles continuem as suas viagens para chegarem ao destino que tanto idealizam para as suas famílias.

Estes dados foram recolhidos tanto pelos Médicos sem Fronteiras, como também pela ONG que tem estado a operar na travessia dos Balcãs.  #Mudança do Clima #Crise migratória