Nova York percebeu que em um futuro não muito distante, os telefones públicos serão substituídos por telefones com #Internet e por conta disso, transformou cabines telefônicas em pontos de Wi-FI.

As novidades chegaram à cidade no último dia 28 de dezembro, quando ruas de Manhattan, ganharam internet Wi-FI gratuita nas ruas. A iniciativa está em fase de testes, mas dentro de poucos dias será liberada definitivamente para o uso de todos que passam pelas ruas.

A internet grátis foi colocada em pontos estratégicos em que ficariam cabines telefônicas e possui alcance de conexão em até cinquenta metros de distância do ponto. As ‘cabines’ também receberam telas sensíveis – Touch – com informações diversas sobre a cidade, além de possibilidade de ligações gratuitas para qualquer telefone fixo dentro dos Estados Unidos e de entradas USB para carregamento de telefones celulares.

Publicidade
Publicidade

Para permitir que o projeto seja gratuito, o mesmo será custeado pela publicidade de informativos colados em seus vidros, como é tradicional em Nova York. Os patrocinadores anunciam e o valor cobrado é revertido para manter os pontos de internet e praticidade gratuita. Claro que os idealizadores não estão contando com possíveis atos de vandalismo e furtos, logo, se isso acontecer, o projeto pode ser descontinuado, afinal, tudo é novidade e mesmo sendo liberado para a população, não deixa de ser um teste para outras cidades analisarem se é viável a implantação.

O projeto, chamado de LinkNYC, foi anunciado pela prefeitura de Nova York há pouco mais de um ano e só agora conseguiu começar a ser implantado. Há cerca de sete mil e quinhentos telefones públicos na cidade para serem substituídos e a prefeitura pretende fazê-lo em pelo menos quinhentos deles até o mês de julho desse ano.

Publicidade

A ideia é revolucionária, mas por uma questão de segurança, nem todos os lugares podem receber a implantação, mas acaba servindo de inspiração para grandes metrópoles de todo o mundo.

E você, o que achou da novidade? Acha que isso daria certo no Brasil? Deixe a sua opinião nos comentários. #Curiosidades #EUA