Um novo vídeo terrorista foi divulgado na internet com ameaças de ataques a cidades europeias. Entretanto, as ameaças não partiram de membros do #Estado Islâmico, como de costume, mas de um homem que se diz combatente da Al-Qaeda, grupo extremista que foi liderado por Bin Laden durante os ataques de 11 de setembro de 2001 nos EUA.

Na gravação o homem diz que os europeus estão nas terras do ‘Islão’ e que com a ajuda de “alah” vão atacar Roma, Nápoles e Madri, e que haverá explosões em toda a parte.

Autoridades espanholas, segundo o El Confidencial, começaram a analisar a veracidade do vídeo desde que tomaram conhecimento do mesmo.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, o Ministério do Interior tranquilizou a população dizendo que não é a primeira vez que terroristas gravam esse tipo de vídeo os ameaçando.

Vale ressaltar que Paris já havia sido ameaçada várias vezes e que autoridades internacionais tentaram alertar a França dias antes do massacre de Paris, mas não foram ouvidas e cerca de 130 pessoas tiveram suas vidas ceifadas nos ataques, além de dezenas de feridos, muitos deles estão hospitalizados até hoje.

Perigo extremista

Tanto Estado Islâmico, quanto a Al-Qaeda são grupos terroristas islâmicos que visam transformar todos os países do mundo em um só califado seguidor da shari´a. Ambos têm divulgado vídeos com ameaças de ataques à cidades e países que estão em territórios que, segundo eles, pertencem aos muçulmanos.

Dentre os seus focos principais estão: Paris, Roma, Madri e Portugal.

Publicidade

Além destes, o EI já ameaçou realizar ataques aos Estados Unidos e Reino Unido quando ninguém esperar. A Al-Qaeda chegou a divulgar um vídeo em que convidava o Estado Islâmico a se unir com eles para reconquistar o território europeu.

Apesar dessa suposta ‘camaradagem’, os dois grupos são rivais e o Estado Islâmico divulgou imagens, há algumas semanas de três membros da Al-Qaeda sendo ‘explodidos’ pelos jihadistas. Os dois grupos têm guerreado entre si no Oriente médio, principalmente em alguns territórios do Iraque e da Líbia, onde os dois detêm poder.

O número de combatentes dos grupos, sobretudo do EI, tem crescido assustadoramente, sendo parte do exército formado por homens e mulheres de diversas partes do mundo. Um membro do Estado Islâmico que foi capturado pelo exército curdo, informou que existem cerca de quinze mil estrangeiros no exército do EI e que esse número podia aumentar. Como não tinha nada a perder, uma vez que se for solto será morto pelo grupo por fazer tais revelações e se for para a Turquia será preso, o homem também contou que o EI prepara um novo ataque com proporções que superarão o 11 de setembro. #Terrorismo #Ataque