A Coreia do Norte continua ignorando os pedidos e sanções da comunidade internacional em virtude do teste com uma bomba de hidrogênio realizado na última quarta-feira, 6. Prova disso é que a emissora de televisão de Pyongyang divulgou imagens de um teste nuclear com misseis.

As imagens foram transmitidas na Coreia do Norte na sexta-feira, 8, e divulgadas internacionalmente neste sábado, 9, pela Agência Yonhap. Segundo a publicação, o teste feito com misseis nucleares lançados de um submarino obtiveram melhores resultados do que o primeiro, que segundo a emissora estatal ocorreu há cerca de oito meses.

O mais surpreendente da divulgação é que os testes com os misseis de guerra foram realizados antes do teste com a bomba de hidrogênio que ocorreu nessa semana.

Publicidade
Publicidade

O noticiário governamental contou que as imagens eram provenientes de um teste feito no dia 21 de dezembro do ano passado, e o ditador Kim Jong-un acompanhou os lançamentos de um navio que estava próximo do local dos testes.

Segundo especialistas, a Coreia do Norte ainda está testando a tecnologia empregada nos projeteis e ainda não tem capacidade técnica para utilizar esse tipo de armamento contra outras nações, mas que ao adquirir o pleno domínio dessas 'armas de destruição', fariam com que os projeteis alcançassem longa distância, gerando caos e destruição imensurável.

Coreia do Norte no centro das atenções internacionais

O anúncio norte-coreano de que explodiram uma 'mini' bomba de hidrogênio gerou grande repercussão nos quatro cantos do planeta, e não é para menos: esse tipo de bomba tem potencial de destruição superior à uma bomba nuclear, como a que destruiu a cidade de Hiroshima, no Japão, durante a segunda guerra mundial.

Publicidade

O uso de armamento nuclear é condenado pela comunidade internacional desde o fim da guerra e sempre há tensões entre países que possuem alguma tecnologia desse tipo, como tem sido alvo de discussões há alguns anos no Irã. Armamentos diversos desse tipo colocam o mundo em alerta sobre possíveis atentados e tensões com o país oprimido pelo #Governo de  Kim Jong-un.

Veja o vídeo lançamento:

#Crime #ONU