Ultimamente se tem acompanhando a triste realidade enfrentada pelos imigrantes que tentam buscar um recomeço em países da #Europa. São famílias obrigadas a deixar seu próprio país para fugirem de guerras, desastres naturais ou até mesmo procurar uma vida melhor. Elas lutam por apenas um ideal ter um lugar adequado para criar seus filhos, trabalhar e viver ou seja procuram uma qualidade de vida que muitas vezes elas não encontram em seus países de origem. 

Para chegarem a estes países os imigrantes enfrentam uma verdadeira luta para sobreviverem ao desafio da travessia pelo Mediterrâneo e este número aumenta a cada dia que passa.

Publicidade
Publicidade

São milhares de jovens, idosos, crianças , grávidas e bebês de colo. Gente que vê uma esperança  nos países desenvolvidos. Muitos não conseguem chegar até o final da travessia pois morrem de fome,frio, de doenças ou até mesmo afogados. Para aqueles que conseguem chegar vivos o desafio esta apenas no começo eles precisam conseguir entrar nos países, o cálculo atual segundo a ONU, é de que 850 mil imigrantes tentem buscar abrigo nos países Europeus só neste começo de 2016 este número ainda tem tendência a aumentar.

Além de enfrentarem milhares de problemas para conseguirem realizar seus sonhos na luta por uma vida melhor, os imigrantes estão passando por um problema gravíssimo que vem sendo noticiado em vários meios de comunicação: milhares de crianças e adolescentes imigrantes de outros países vem desaparecendo ao chegarem nos países da Europa.

Publicidade

 Segundo informações da Europol os desaparecimentos estão acontecendo logo após elas serem registradas pelas autoridades locais.

A polícia suspeita que estas crianças e adolescentes estão sendo usados como fonte de exploração em diversas atividades, como trabalho escravo e atividades sexuais. Quem pode estar por trás destas atividades são gangues compostas por criminosos. O chefe de gabinete da Europol Brian Donald concedeu uma entrevista ao jornal britânico The Observer divulgada pelo site da BBC Brasil onde diz que não é exagero da parte deles afirmar que eles estão analisando o número de mais de 10 mil crianças. Segundo ele nem todas as crianças serão usadas de forma criminosa muitas podem estar com outros membros da família, Mas eles não podem dizer pois não sabem onde elas estão. A Europol informou ainda que os imigrantes tem sido o alvo preferido das gangues criminosas. A esperança agora é que estas crianças possam ser localizadas e devolvidas ao seio de suas famílias.

Um outro detalhe que também chama bastante a atenção é o fato de 26 mil crianças desembarcarem sem família na Europa.

Publicidade

Essas informações são da organização de caridade britânica Save The Children e divulgada pelo site BBC Brasil. Este fato tem intrigado as autoridades dos países da Europa, pois muitas vezes estas crianças desaparecem dos centros de recuperação destinados para imigrantes sem deixar se quer um rastro. A Itália registrou só em maio de 2015 o total de 5 mil crianças desaparecidas. A travessia em si já é muito perigosa para adultos que acabam se afogando, imagine uma criança sozinha sem família atravessado o mar sem nenhum preparo. No último sábado (30) aconteceu uma tragédia no mar Egeu, quando 39 pessoas tentaram chegar na Grécia mas infelizmente morreram afogadas. Entre as 39 havia várias crianças. #Crime