O clima tenso entre Rússia e #EUA está prestes a gerar consequências mundiais. Tudo isso porque Obama e cia planejam realizar invasões terrestres à Síria e o primeiro ministro russo já avisou que se isso acontecer, vai estourar uma guerra mundial de grandes proporções.

Dmitry disse ao jornal alemão Handelsblatt que tanto os EUA, quanto os seus parceiros árabes devem pensar muito bem antes de cometer o grande erro de invadir a Síria, pois isso desencadearia uma guerra permanente e o primeiro ministro russo não acredita que esses países queiram ou possam suportar por muito tempo um conflito continuo e sem data para terminar.

Publicidade
Publicidade

O premier anunciou que o ideal é que todas as partes envolvidas (nas coalizões) se sentem e conversem, realizando negociações viáveis para atual situação internacional, pois essa atitude é melhor do que gerar uma guerra sangrenta.

Para completar, Medvedev sugeriu que os ditadores que almejam a invasão reflitam sobre o que estão prestes a fazer, pois eles não têm chances de vencer uma guerra como a que querem provocar. O primeiro ministro foi ainda mais longe utilizando a expressão “impossível’, para se referir à vitória dos ‘inimigos’.

Por que essa tensão entre os países?

Tanto Rússia, quanto EUA possuem uma coalizão que luta contra o #Terrorismo. A diferença está nos planos de ambos os países quando o assunto é o destino da Síria, local que possui extenso território dominado pelo Estado Islâmico e grupos terroristas de menor expressão, mas que são seguidores do EI ou da Al-Qaeda.

Publicidade

Como a Rússia é aliada de Assad; presidente sírio; pretende unir forças para destruir os terroristas, sem interferir na política da Síria. Já os EUA querem destruir o ISIS e derrubar o governo de Assad, assim como fez com Saddan Hussein, no Iraque, pois acredita que sem acabar com Assad, não tem como acabar com o terrorismo.

Quem sai ganhando com essa guerra?

O Estado Islâmico, a Al-Qaeda e células dos dois grupos que poderão agir na concretização de seus planos terroristas com mais facilidade, afinal, as duas coalizões deixarão de focar os jihadistas para se atacarem, deixando-os livres para realizar atentados e dominar o antigo Al-Andalus. #Guerra Civil