Na madrugada do último domingo (21) uma casa para #Refugiados pegou fogo e foi totalmente destruída. A casa era situada na cidade de Bautzen, no leste da Alemanha, estado da Saxônia.

As autoridades ainda não sabem o que causou o incêndio, a casa teria como objetivo abrigar 300 pessoas que fogem de guerras. De acordo com a polícia, grupos de moradores locais, incluindo bêbados e crianças comemoraram o incêndio através de aplausos e gritos xenofóbicos.

Ainda segundo a polícia, alguns manifestantes e curiosos atrapalharam o trabalho dos bombeiros para conter as chamas. A polícia teve que deter três pessoas que estavam atrapalhando o trabalho dos bombeiros.

Publicidade
Publicidade

Na semana passada, ainda no estado da Saxônia, outros manifestantes se juntaram para tentar frustrar, sem sucesso, o recebimento de refugiados às casas de acolhimento, houve confusão com a chegada a polícia alemã. Uma rede de TV alemã descobriu que um dos manifestantes era um militante de um partido político anti-imigrantes o AfD. Segundo informações dos bombeiros não havia ninguém na casa.

Movimentos contra os refugiados

AfD

Do alemão, "Alternativa para a Alemanha", é um partido classificado como anti-imigração. O partido já chegou a defender acabar com o Euro como moeda única na Europa, registrou uma queixa contra a chanceler alemã, Angela Merkel, por “tráfico de seres humanos” pela questão dos refugiados.

No final de janeiro deste ano, como forma de controle do fluxo ilegal de refugiados o partido defendeu a utilização de armas de fotos contra refugiados, a proposta foi rebatida pelo então porta-voz do Ministério do Interior (Johannes Dimroth) que afirmou “nenhum policial” utilizaria armas contra “pessoas que buscam proteção na Alemanha”.

Publicidade

PEGIDA

Do alemão "Europeus patriotas contra a ‘islamização’ do Ocidente", o movimento foi fundado por Lutz Bachmann (43), nascido em Dresden, leste da Alemanha.

Ele ganhou bastante notoriedade quando em janeiro de 2015 publicou em seu perfil do Facebook uma imitando Hitler. Segundo ele, o feito teria sido apenas uma “piada”, a promotoria de Dresden o processou e ele renunciou a liderança do movimento.

No final de 2014, Bachmann publicou mensagens chamando estrangeiros de “trastes” e “animais”, acabou sendo processado novamente por crime de incitação ao ódio. Ele já foi preso por furto e tráfico de drogas.

O movimento nega ser nazista assim como também nega ser xenofóbico. #Europa #Guerra Civil