Em uma época em que o #Terrorismo deixa todo o mundo com uma ‘pulga atrás da orelha’, principalmente os europeus e americanos, uma pesquisa foi realizada com cidadãos de diversas partes do #EUA e além do terrorismo, eles demonstraram também temer exércitos russos e chineses.

Cerca de 41% das pessoas entrevistadas mostraram-se apreensivas com o crescimento militar da China e da Rússia, pois acreditam que as duas potências militares são um perigo à segurança dos Estados Unidos. Outros 46% dos entrevistados consideram que o crescimento e destaque internacional das duas potências é importante, requer uma atenção especial, mas não acreditam que poderia ser prejudicial especificamente para os EUA.

Publicidade
Publicidade

Ainda no quesito Rússia e China, 47% dos entrevistados confessaram que acreditam que o medo da Rússia vai prosseguir pelos próximos dez anos, pois ela é poderosa militarmente e as constantes tensões políticas entre EUA e Rússia são sempre uma chama a mais para um eventual conflito.

A pesquisa foi realizada pela empresa norte-americana ‘Gallup’ e o tema era: “Principais preocupações dos próximos dez anos”. Em primeiro lugar ficou o terrorismo, principalmente pelos constantes ataques reivindicados pelo Estado Islâmico e ameaças recebidas da Al-Qaeda.

O desenvolvimento de armas nucleares, sobretudo as do Irã, também deixam os cidadãos americanos com medo de uma possível guerra em um futuro não muito distante. Após o escândalo de invasão de privacidade que Edward Snowden revelou para o mundo, os americanos também sentem medo de ciberataques, sobretudo ciberterrorismo.

Publicidade

Os atuais conflitos na Síria e as divergências entre o governo americano e seus aliados em relação a coalizão russa fazem com que 58% dos americanos acreditem que essa é a principal ameaça contra os Estados Unidos na atualidade e nos próximos anos, ou até que a situação do país de Assad seja resolvida.

Caso Donald Trump ganhe as eleições presidenciáveis, a tendência é que a Rússia deixe de ser vista como uma ameaça, pois Donald já confessou que apoia a luta da russa a contra o ISIS e despejou críticas a política antiterrorismo dos Estados Unidos, dizendo, inclusive, que se os políticos americanos tivessem ido à ‘praia’ ao invés de terem decidido se intrometer na vida política do Iraque há pouco mais de uma década, o mundo não estaria sofrendo com o medo do terrorismo hoje. O ISIS surgiu após a queda de Saddan Hussein e enquanto os EUA se focavam em exterminar a Al-Qaeda, o EI estava crescendo pouco a pouco.

Para finalizar, 63% dos americanos temem doenças infecciosas e que se propagam com facilidade, como o zika vírus e ebola. #Vladimir Putin