A jovem brasileira, enfermeira, de 23 anos e sua amiga alemã acampavam na praia de Adelaide, na Austrália, quando foram atacadas por um homem, de 59 anos, que as sequestrou, torturou e estuprou. Elas o haviam  conhecido na internet. As jovens tentaram fugir, mas uma foi recapturada. A outra consegui fugir e desesperada e completamente ensanguentada gritou por socorro ao chegar à uma comunidade de pescadores locais. Um deles, Abdul-Karim Mohammed, falou ao canal de notícias 7 News e disse: "Ela correu direto para nós, gritando. Só conseguia dizer 'me tirem daqui, ele vai matar todos nós", de acordo com o Jornal The Independent, citado pelo Portal de Notícias Online Mundo ao Minuto.

Publicidade
Publicidade

Os pescadores imediatamente lhe prestaram os primeiros socorros e acionaram a polícia. A moça conseguiu dar o paradeiro da outra que ainda havia ficado em poder do estuprador. A polícia se dirigiu ao local e conseguiu encontrar a outra jovem no chão, inconsciente, e também bastante ensanguentada. 

As garotas foram levadas ao hospital e os médicos constaram alguns ferimentos graves. Uma delas levou marteladas na cabeça e a outra foi atropelada pelo bandido. Uma delas já foi liberada e se recupera dos ferimentos e do trauma, a outra, infelizmente, segue em estado grave no hospital. Não se sabe  mais informações sobre o estado de saúde das garotas, nem os seus nomes. Por determinação da Justiça as identificações das garotas não foram liberadas para preservá-las, da mesma forma, não foi publicados o nome e a imagem do suposto estuprador.

Publicidade

O homem, que é australiano e morava ao sul de Adelaide, está sendo processado e investigado por sequestro, estupro e tentativa de homicídio pelo Tribunal de Murray e será ouvido novamente em abril. A polícia já conseguiu apurar que as garotas haviam marcado um encontro com o homem através de um dos seus perfis na internet para que realizassem um passeio pelo deserto da Austrália, muito comum na região. Investiga-se agora se ele haveria cometido mais crimes como este. #Ataque #Crime