Um homem mumificado foi encontrado em um barco que estava à deriva, e que estaria sendo movido pelos oceanos por correntes marítimas durante os últimos 7 anos. Havia apenas o capitão a bordo do barco, que foi identificado como sendo o aventureiro alemão Manfred Fritz Bajorat.

Ao que parece, Bajorat estava tentando fazer um pedido de socorro momentos antes de morrer, pois seu corpo foi localizado perto de um equipamento de rádio na cabine de comando. O iate do explorador, cujo nome era Sayo, estava parcialmente submerso, com o mastro quebrado, e foi encontrado neste fim de semana por 2 pescadores, a cerca de 80 km da costa das Filipinas, na província de Surigao del Sur.

Publicidade
Publicidade

Dentro do iate, os pescadores encontraram o corpo de Bajorat, álbuns de fotos, roupas, latas de comida espalhadas e papéis, através dos quais puderam identificar o capitão.

Condições favoráveis à mumificação

O cadáver de Bajorat estava sentado em uma cadeira e reclinado sobre uma mesa, apresentando uma coloração cinza. A mumificação aconteceu naturalmente por causa das condições encontradas nos oceanos: os ventos, nestas regiões, são muito secos, as temperaturas são muito elevadas e existe sal no ar, devido à evaporação.

Até o momento não se sabe exatamente quando o homem morreu, ou qual foi a causa de seu falecimento, mas um dos fatos surpreendentes sobre o caso é que Manfred Fritz Bajorat não era visto desde 2009. Naquele ano, ele entrou em contato com outro navegador em Mallorca (uma ilha localizada a leste da Espanha), chamado Dieter, e desde então não foi mais localizado.

Publicidade

Tudo indica, pela lógica, que Bajorat teria permanecido morto durante todo este tempo em seu barco, à deriva, afundando só recentemente.

Autoridades locais estão intrigadas com a morte, e a porta-voz da polícia de Barobo, Goldie Lou Siega, declarou que não há sinais dentro da embarcação que indiquem, por exemplo, assassinato, ao invés de morte natural. Ela afirmou: "Não temos nenhuma evidência de uma segunda pessoa a bordo, e nenhuma arma foi encontrada no iate”.

Dr. Mark Benecke, que é um criminologista de Colônia, na Alemanha, acredita na hipótese de morte natural, e declarou: "A maneira como ele está sentado parece indicar que a morte foi inesperada, talvez um ataque cardíaco". #Curiosidades #Casos de polícia