O jornal espanhol El Mundo publicou na última sexta-feira, 12 de fevereiro, uma matéria em que o diretor da CIA, John Brennan, garante que o DAESH (ISIS) utilizou arma química em campos de batalhas, a declaração foi feita em uma entrevista à CBS News.

Segundo as afirmações de Brennan, diretor da organização, “foram inúmeras vezes que o grupo Estado Islâmico utilizou armas químicas em campos de batalha”. De acordo com as informações da CIA divulgadas na reportagem, a milícia teria utilizado um composto químico chamado ‘gás-mostarda’.

O diretor disse ainda que a CIA acredita que o grupo terrorista tem possibilidade de fabricar quantidades, mesmo que pequenas, de cloro além do gás-mostarda. O diretor considerou que existe a possibilidade da facção exportar essas armas químicas para além da Síria e Iraque.

Publicidade
Publicidade

De acordo com ele, uma forma de barrar a fabricação de agentes químicos é impedir as vias de transporte e contrabando que os jihadistas utilizam.

O diretor de Inteligência Nacional, Jamer Clapper, havia acusado o grupo na terça-feira (9) de ter “utilizado produtos químicos tóxicos no Iraque e Síria, incluindo o gás-mostarda”.

Após acusações feitas por Washington, de que o governo sírio teria usado gás sarin contra civis no subúrbio de Ghouta, Damasco entregou suas armas químicas à ONU, em 2013. A última vez em que um grupo terrorista utilizou arma química [gás sarin] foi no ano de 1995, no metrô de Tókio, no Japão, matou 11 e intoxicou cerca de 5 mil pessoas.

Entenda os agentes químicos

Gás mostarda

Na sua forma impura, esse composto químico tem a aparência amarelada e tem um odor semelhante ao da mostarda.

Publicidade

Já na sua forma pura é incolor e não possui cor. Os efeitos dele no organismo danificam as vias respiratórias, gastrointestinais e neurológicas. Causa irritação dos olhos, vômitos, cegueira temporária, rompimento de vasos sanguíneos, e por consequência hemorragias do tipo grave. Quando existe um contato intenso com o gás pode levar a morte em até 5 minutos. Não existe um antídoto no caso de exposição agente.

Gás sarin

Utilizando aviões de guerra, esse agente altamente tóxico foi usado em épocas de guerras. Ao ser afetado por esse agente a pessoa sofrerá de dores de cabeça, vômitos, problemas respiratórios, excesso de suor. Além de espasmos musculares, ele diminui os batimentos cardíacos e causa convulsões. Ele consegue matar uma pessoa em alguns minutos. Existe antídoto no caso de contaminação. #Terrorismo #Estado Islâmico #Guerra Civil