José Veiga, um empresário do futebol e um antigo diretor do Benfica, foi preso nesta quarta-feira (3), por estar envolvido em crimes ligados à lavagem de dinheiro, fraude fiscal e #Corrupção durante vários anos. Ainda não se sabe ao certo se Veiga praticou esses crimes enquanto ainda era dirigente de um dos maiores clubes de futebol do mundo, porém há razões para preocupações. No mesmo processo, um irmão de um antigo primeiro-ministro português, Paulo Santana Lopes, também foi preso por envolvimentos semelhantes.

Um dos grandes problemas no Brasil, a corrupção, está também afetando muito Portugal, que em poucos anos já prendeu altos responsáveis por bancos e até um antigo primeiro-ministro, José Sócrates, algo que nunca tinha acontecido na história de Portugal.

Publicidade
Publicidade

Em mais um caso de corrupção, José Veiga e Pedro Santana Lopes foram agora presos pela “prática de crimes no comércio internacional”.

Apesar de não haver, pelo menos por enquanto, nenhuma ligação desses crimes com o Benfica, vai haver sempre a preocupação do clube em ver seu nome associado a mais uma polêmica de lavagem de dinheiro e corrupção. Na verdade, outros clubes portugueses e também internacionais, como foi o caso do Boavista e da Juventus, desceram de divisão por questões semelhantes. Contudo, tal como publicou o jornal “Correio da Manhã”, os crimes que são conhecidos até agora estão relacionados apenas com a venda de obras públicas, construção civil e produtos petrolíferos entre entidades meramente privadas.

Segundo o site “Notícias ao Minuto”, Paulo Santana Lopes e José Veiga usavam o lucro que conseguiam fazer nesses negócios para obterem outros bens valiosos, como imóveis e veículos luxuosos, conseguindo assim sonegar impostos, fugindo da fiscalização e de qualquer tipo de suspeita de corrupção nos negócios que ambos faziam, sempre ajudados por pessoas com “conhecimentos específicos”.

Publicidade

O caso  promete abalar Portugal e que pode trazer consequências imprevisíveis para várias entidades portugueses pode ainda fazer correr muita tinta na imprensa internacional, pouco mais de um ano depois de Sócrates, um antigo primeiro-ministro português, ter também sido preso por acusações semelhantes. #Investigação Criminal #Casos de polícia