Uma descoberta macabra está chocando a pequena aldeia de Marston, duas milhas ao norte de Oxford, na Inglaterra. Um transeunte estava caminhando quando descobriu o corpo de um bebê, recém-nascido, dentro de um saco preto. O incidente está sendo investigado, mas ainda se desconhecem as causas da morte do bebê. A polícia está procurando pela mãe da criança, que poderá precisar de atendimento médico urgente. 

Morte tratada como "inexplicável"

Por essa razão, está se especulando que o bebê seja ainda muito pequeno e que poderia ter nascido há pouco tempo, apesar de a polícia não ter revelado pormenores sobre o sucedido ainda.

Publicidade
Publicidade

Para já, os policiais se recusam a adiantar sequer o sexo do bebê, mantendo o assunto bem reservado. Também a idade não foi revelada, nem se a criança estava machucada.

A polícia foi alertada na manhã desta segunda-feira, dia 29 de fevereiro, por um homem que estava passando no local e viu o bebê. Quando a polícia chegou ao local, acabou por declarar a morte da criança. No entanto, não revelaram há quanto tempo a criança poderia ter sido largada no meio desses arbustos. 

Como a polícia está insistindo na procura pela mãe, se acredita que o parto possa ter acontecido bem recentemente, mas os motivos para essa descoberta continuam sendo um mistério. 

A polícia vai continuar a investigação e está pedindo informações junto da população local na esperança de desvendar esse caso. Encontrando a mãe, tudo ficaria mais fácil de ser resolvido.

Publicidade

A autópsia poderá ajudar a solucionar esse caso, indicando com relativa precisão as causas da morte (se o bebê já estaria morto quando foi largado ou se teria morrido depois, por asfixia) e também por quanto tempo ele estaria abandonado nessa trilha. 

O detetive Jim Holmes pediu para a mãe se apresentar junto às autoridades ou qualquer familiar que possa ajudar a esclarecer esse caso macabro. Para já, o policial adianta apenas que o bebê teria sido "jogado deliberadamente no meio dos arbustos". No entanto, se desconhecem obviamente as razões e quem o teria feito.

A investigação vai prosseguir.   #Família #Europa #Casos de polícia