Com ou sem negociações para um acordo sobre as operações da Síria, o clima é sempre tenso entre representantes políticos da Rússia e dos #EUA.

Há alguns dias John Kerry, Secretário de Estado Americano, praticamente intimou a Rússia e o Irão à colaborarem com a política antiterrorismo dos EUA. Na ocasião, disse que se os dois países não ajudarem os Estados Unidos nas operações na Síria, então ocorreria invasão terrestre em território sírio.

Dmitry Medvedev considerou as infelizes ameaças de Kerry como ‘fúteis’ e afirmou que se os Estados Unidos querem iniciar uma grande guerra prolongada, então que invadam a Síria com sua operação terrestre, mas que não ‘tentem’ ameaçar ninguém.

Publicidade
Publicidade

Além disso, disse que negociações devem ser feitas como a do cessar fogo, e não com ameaças do tipo ‘se você não faz o que quero, então faço algo ruim por sua culpa’.

Mesmo com o constante clima tenso entre Rússia e EUA, Dmitry encontra-se otimista quanto a uma solução pacifica entre as duas coalizões. O primeiro ministro disse que é preciso que haja um acordo entre os dois países, pois se eles não se unirem para combater o terrorismo, o ISIS e demais grupos continuarão crescendo, o povo sírio continuará morrendo e a crise migratória só vai piorar, pois mais e mais pessoas vão fugir dos territórios afetados para preservarem suas vidas.

A Rússia vê a luta contra o terrorismo como uma forma de tranquilizar o mundo e desafogar a Europa e países de outros continentes com o excesso de refugiados.

Publicidade

Além disso, acabar com o terrorismo faz parte de sua política nacional, já que os jihadistas também são um perigo para a Rússia.

Sem acabar com o terrorismo, não tem como evitar que surjam novos refugiados, da mesma forma, quem se refugiou na Europa e outros continentes, não pode voltar para a Síria enquanto os conflitos não acabarem. A entrevista foi conferida a Euronews.

Terceira guerra mundial quase à vista

Após as ameaças de invasão terrestre à Síria, Medvedev disse que se ocorrer a invasão, uma grande guerra mundial seria iniciada. Sempre cauteloso, mas muito firme em suas palavras, assim como #Vladimir Putin, Dmitry orientou a coalizão liderada pelos EUA a pensar sobre as consequências de uma possível guerra, lembrando que além da mesma não ter data para terminar, os Estados Unidos e seus aliados não teriam chances algumas de vencê-la. #Guerra Civil