Preocupadas em resolver a #Guerra Civil que assola a Síria desde 2011, algumas das principais potências mundiais, encabeçadas por Estados Unidos e Rússia, deram um passo importante para apaziguar o conflito. Em coletiva nesta sexta-feira (12), na Alemanha, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o chanceler russo, Sergei Lavrov, anunciaram um acordo propondo que em até uma semana ocorra uma “cessação de hostilidades” no território sírio.  

Com esta decisão, a assistência humanitária à Síria deverá ser reforçada imediatamente, com o fornecimento de itens de primeira necessidade como alimentos e medicamentos para as regiões de conflito do país.

Publicidade
Publicidade

A esse respeito, Kerry sentenciou: “É unânime. Todos hoje concordam com a urgência do acesso humanitário. O que temos aqui são palavras no papel. O que precisamos ver nos próximos dias são ações no terreno”.

Lavrov, por sua vez, afirmou que as negociações com as lideranças oposicionistas sírias deverão ser iniciadas logo. Para ele, a decisão de cessar as hostilidades é um primeiro e importante passo em busca de um cessar-fogo. Por outro lado, o russo também reconheceu a dificuldade de realizar a promessa em um período tão curto levando-se em conta o grau de tensão no país.

 

Oposição Síria

Para Salem al-Meslet, porta-voz da oposição síria nas negociações mediadas pela ONU, o acordo é otimista, mas ainda falta saber se o que foi proposto de fato se fará cumprir. “Nós vamos esperar dois dias e ver se todas as promessas feitas serão mantidas.

Publicidade

Espero que já vejamos algo na segunda-feira”, afirmou após o anúncio. Segundo ele, o cumprimento das promessas feitas para o acordo serão essenciais para que em breve os grupos de oposição ao presidente Bashir al-Assad retomem as negociações de cessar-fogo.

Um dos pontos reivindicados pelos grupos oposicionistas para retomar as negociações de paz é justamente a volta da assistência humanitária nas regiões de conflito, como o fornecimento de alimentos aos civis. A princípio, de acordo com o acertado na reunião, a Rússia ficará responsável pelo fornecimento aéreo de suprimentos nas regiões de guerra. 

Proposta russa

O anúncio da proposta de acordo veio após a reunião do Grupo Internacional de Apoio à Síria, na cidade de Munique. Além dos representantes da Rússia e dos Estados Unidos, estiveram presentes na reunião o enviado da Organização das Nações Unidas (ONU), Staffan de Mistura; o ministro alemão das relações exteriores, Frank-Walter Steinmeier; e líderes de outros países envolvidos com o conflito, como Arábia Saudita, Irã e Turquia.

Publicidade

A proposta de cessação das hostilidades foi uma iniciativa da Rússia apresentada logo no início da reunião. Antes desse encontro, um outro acordo para dar fim ao conflito sírio estava sendo elaborado em Genebra, Suíça, mas foi interrompido no início deste mês após a ofensividade do governo sírio, apoiado por iranianos e russos, contra as milícias oposicionistas, apoiadas pelos EUA e outros membros da chamada comunidade ocidental.

A ideia é que, conquistado o cessar-fogo entre rebeldes e governistas, todos possam se focar na luta contra o Estado Islâmico e demais grupos radicais que crescem na região. #Oriente Médio