Um militar aposentado da marinha americana, pertencente à terceira classe suboficial do Centro Naval de Telecomunicações da Estação Naval Aérea Moffert, localizada no condado de Santa Clara, Califórnia, afirmou para investigadores de OVNIs que está disposto a revelar milhares de documentos ultrassecretos envolvendo casos e avistamentos relacionados ao fenômeno.

Sua identidade, segundo o site britânico de notícias Express, não foi revelada, mas indagado sobre o assunto, Nick Pope, ex-oficial do Ministério da Defesa britânico, que trabalhou de 1985 a 2006 investigando casos envolvendo OVNIs, disse ao Express que o homem em questão é uma fonte genuína.

Publicidade
Publicidade

Pope declarou: “Eu realmente tinha alguma comunicação pessoal com esse indivíduo, e não tenho dúvidas sobre o seu passado. É evidente a partir da linguagem que ele usa, e as informações que possui, de que se trata de um informante genuíno." Estas afirmações causaram alvoroço na comunidade ufológica, e Pope acrescentou: “Mesmo que o meu próprio juramento de sigilo me obrigue a não encorajar ninguém a divulgar informações classificadas sem a devida autorização, estou obviamente muito interessado ​​em sua história”.

O incidente em Rendlesham

Nick Pope disse que o informante pode,inclusive, contribuir com maiores esclarecimentos sobre um incidente ocorrido na floresta de Rendlesham, no Reino Unido, que ficou conhecido mundialmente como "o caso Roswell britânico”, assim chamado em alusão ao famoso incidente ocorrido em 1947 na cidade do Novo México, Estados Unidos, onde uma nave extraterrestre teria se acidentado.

Publicidade

O caso britânico aconteceu na madrugada do dia 26 de dezembro de 1980, quando 3 oficiais norte-americanos da estação da Força Aérea Real de Bentwaters, avistaram uma nave em formato triangular pousada na floresta de Rendlesham, situada nas redondezas da instalação militar.

Declarações

O oficial aposentado, que trabalhou para as forças armadas americanas entre fevereiro de 1986 e outubro de 1989, declarou que a Agência Americana de Segurança Nacional (NSA) e o Governo do Reino Unido possuem projetos para monitorar avistamentos de OVNIs, e que o incidente ocorrido em Rendlesham também foi pesquisado. Além disso, o informante apresentou um relatório à MUFON (Mutual UFO Network, Rede Mútua do OVNIs), a maior organização de investigação sobre atividade extraterrestre do mundo.

No relatório, o ex-oficial americano declarou: “Eu, pessoalmente, manipulei, vi e entreguei milhares de documentos envolvendo OVNIs/projetos extraterrestres. Meu contrato de sigilo com o Governo dos Estados Unidos terminou em outubro de 2014. Neste ponto da minha vida, eu gostaria de compartilhar o meu conhecimento, na esperança de que alguém seja capaz de usá-lo de forma eficaz para o desacobertamento (do fenômeno OVNI)”. #Curiosidades #Europa #EUA