De acordo com uma reportagem veiculada hoje no canal HispanTV, o porta-voz do ministério do interior da Arábia Saudita, Mansur Al-Turki, admitiu que o país saudita tem financiado o grupo terrorista no Afeganistão.

Ele falou que o sistema de finanças do país tem sido usado para conseguir milhões de dólares para ajudar a Al Qaeda no país afegão.

O ministro revelou ainda que algumas pessoas partem do pré-texto de programas de caridade para convencer o povo a contribuir com fundos, assim utilizam o dinheiro para subsidiar o grupo terrorista.

Embora haja o apoio do país, ele disse que a organização terrorista representa uma ameaça.

Publicidade
Publicidade

Mais acusações contra o país

Na última segunda (01/02), o senador norte-americano, Chris Murphy, acusou o governo saudita de construir escolas no Paquistão para disseminar a ideologia do Estado Islâmico do Iraque e da Síria (ISIL).

Além da acusação do senador, o secretário da organização Iraque Bard, Hadi Al-Ameri,  em janeiro deste ano, afirmou que “A Arábia Saudita é a origem do #Terrorismo no mundo inteiro”.

Al Qaeda – Origem

A organização terrorista que significa “A Base”, em árabe, foi fundada em 1989 por Osama Bin Laden.

No início a Al Qaeda lutava contra as tropas militares russas que atuavam no Afeganistão. Com a Guerra do Golfo (entre 1990 – 1991) e a instalação de bases militares dos EUA na península arábica, Bin Laden passou a lutar a favor da expulsão dos norte-americanos.  Isso fez com que o rei Fahd o expulsasse da Arábia Saudita, em 1991.

Publicidade

Bin Laden morou por cinco anos no Sudão. Em 1998, na África, os combatentes do grupo terrorista fez um ataque em duas embaixadas dos Estados Unidos, deixando 224 mortes.

A partir desses fatos Bin Laden apontou os EUA como seus principais inimigos, segundo ele a política dos EUA oprimia os muçulmanos.

A Al Qaeda se destacou no noticiário internacional quando em 11 de setembro de 2001, 19 combatentes sequestraram quatro aviões e lançaram duas contra o World Trade Centre, em Nova Iorque, uma no Pentágono, e a outra em Pittsburgh. O atentado dos combatentes deixou 3 mil pessoas mortas, e gerou um prejuízo, aos EUA, de 90 bilhões de dólares.

Depois desse atentado tropas britânicas e estadunidenses bombardearam e destruíram centros de treinamentos da Al Qaeda, em Cabul, capital do Afeganistão. #Al Quaeda #Oriente Médio