A eleição norte-americana só acontecerá em novembro, mas já tem número recorde de candidatos. São 1.528 candidatos inscritos até o momento. Em 2012 esse número não chegou a 400 candidatos.

Nos Estados Unidos as regras para ser candidato são mais simples, não há necessidade de ser filiado a nenhum partido, quem tiver interesse pode se candidatar como candidato independente. É necessário apenas ter mais de 35 anos, ser nascido nos Estados Unidos e vivido no país por mais de 14 anos. Quem preencher estes requisitos pode preencher o formulário de candidatura on-line ou enviá-lo pelo correio.

O empresário brasileiro Rod Silva é um dos candidatos independentes à Casa Branca.

Publicidade
Publicidade

Fundador de uma rede de restaurantes de comida saudável, ele criou o Partido da Nutrição (Nutrition Party). Na sua plataforma de campanha os principais assuntos giram em torno dos problemas como o aumento da obesidade e de doenças como diabetes e colesterol.

Segundo Rod, o fato de ser um empresário bem sucedido, administrador de uma rede de 50 restaurantes, o qualifica para comandar o país.

Ao contrário da maioria dos candidatos independentes que não fazem campanha, Rod está bem organizado, tem um site e conta com a ajuda de voluntários em vários estados americanos. Rod Silva é filho de imigrantes brasileiros que saíram de Santos.

Dentre nomes fortes como Donald Trump, que lidera as pesquisas para a Casa Branca, Hillary Clinton e Jeb Bush, existem nomes como Fidel, candidato pelo partido comunista, um Putin e um Rocky Balboa.

Publicidade

A maioria dos candidatos são do sexo masculino, muitos já foram candidatos em outras eleições, como é o caso do pastor Terry Jones, que em 2010 ganhou espaço na mídia. Sua plataforma de campanha defendia a queima do Alcorão.

As chances de ganhar a eleição são quase zero. Desde 1856 não aparecem nas cédulas mais de 5 nomes além dos candidatos democrata e do republicano. Para conseguir que seu nome seja incluído nas cédulas dos mais de 50 Estados, o candidato necessita de uma petição assinada por milhares de eleitores. Mesmo os partidos consagrados nem sempre conseguem que seus candidatos estejam presentes nas cédulas de todos os Estados. #EUA #Eleições 2016