A Grécia é mais uma vez ameaçada de ser suspensa do Espaço Schengen se as condições que este país têm com os #Refugiados e imigrantes não melhorarem nestes próximos tempos. Bruxelas obriga Atenas a tratar com melhores condições todos as pessoas que têm vindo pedindo asilo.

Bruxelas tem feito muita pressão sobre a Grécia para que este país acolha com  melhores condições todas aquelas pessoas que têm pedido asilo, porque, desta forma, os outros Estados Membros da #União Europeia (UE) que neste momento apresentam muitas dificuldades para acolher estes refugiados e imigrantes, possam reenviar de volta estas pessoas para o país onde chegaram em primeiro lugar, segundo as várias regras comunitárias.

Publicidade
Publicidade

A Grécia tem sido bastante acusada com muitas consequências resultantes de uma má gestão do maior movimento de refugiados e imigrantes que está acontecendo deste a 2ª Guerra Mundial. Dimitris Avramopoulos, o comissário europeu para as Migrações, anunciou um novo relatório que fala principalmente sobre a crise e não deixou de apelar aos vários Estados, mas mais precisamente à Grécia para que tentem fazer mais antes da nova intensificação do movimento que se intensificará no próximo verão.

De acordo com os dados recolhidos pelo site Notícias ao Minuto, em 2015 cerca de um milhão de refugiados e imigrantes entraram no continente europeu. Cerca de 3500 pessoas não conseguiram sobreviver à passagem do Mar Mediterrâneo porque muitas vezes viajam em embarcações construídas com materiais muito frágeis que não aguentam o peso de centenas de pessoas que navegam nestas embarcações tentando fugindo das guerras e conflitos que se têm sentido na Síria nesses últimos tempos.

Publicidade

Já em 2016, cerca de 70 mil refugiados e imigrantes chegaram ao continente europeu e mais de 400 pessoas já morreram neste ano na passagem do Mar Mediterrâneo.

Todos os Estados Membros da União Europeia (UE) irão se reunir em março deste ano para tentarem discutir entre todos quais as mudanças nas regras de Dublin que devem ser pensadas e estudadas.  #Crise migratória