Após a ofensiva das tropas governistas do presidente sírio Bashar al-Assad contra os rebeldes na cidade de Aleppo, região ao norte da Síria, uma nova leva de pessoas tem se deslocado da região de conflito em busca de assistência humanitária. No entanto, segundo declaração da organização Médico Sem Fronteiras (MSF), que atua na região, há inviabilidade para atender adequadamente os novos deslocados.

O MSF tem prestado assistência na cidade de Azaz, próximo à fronteira da Síria com a Turquia, mas os acampamentos para deslocados nessa localidade já se encontram no limite de suas capacidades. Diante da impossibilidade de acolher um novo contingente, a organização teme que as pessoas sofram as consequências da exposição às baixas temperaturas sem abrigo e cuidado adequados.

Publicidade
Publicidade

Estima-se que com a ofensiva das tropas governistas em Aleppo cerca de 50 mil civis tenham deixado a cidade. Desses, aproximadamente 30 mil se dirigiram à fronteira turca. Apesar do apelo da comunidade internacional, a Turquia tem barrado a entrada de sírios em seu território. #Guerra Civil #Oriente Médio