Segundo o Wikipédia, os rebeldes Houthis são também chamados al-Houthis, que faz referência ao nome do seus dirigentes, Hussein Badreddine al-Houthi e seus irmãos. É a denominação mais comum da organização Ansar Allah,(partidários de Deus) um grupo político armado zaidita atuante no noroeste do Iêmen. Eles também têm sido referidos como um "poderoso clã", e com o título Ash-Shabab al-Mu'min, traduzido como Crentes Juvenis ou Jovens Crentes.

 O Estado Islâmico afirma ter realizado 25 ataques terroristas no Iêmen em menos de um ano, liberando uma visualização de dados detalhando as mortes como forma de demonstrar sua influência no país devastado pela guerra.

Publicidade
Publicidade

 A agência de notícias semi-oficial do grupo Amaq divulgou os números no telegrama; eles foram descobertos pelos analistas de Deep Web, que anteriormente foram encontrados semelhantes despachos de listagem de atividades ISIS na Síria e no Iraque.

 Os gráficos pretendem mostrar que o ISIS tem realizado pelo menos 25 ataques separados no Iêmen desde que o grupo estabeleceu sua base no país, após guerra eclodir entre os rebeldes Houthis e as forças do governo saudita. A maioria dos ataques do ISIS têm como alvo os rebeldes, que se acredita estarem alinhados com o Irã, embora os rebeldes e o Teerã negarem essa informação.

Enquanto a guerra continuou a causar devastação em toda a parte sul do Iêmen, grupos militantes, incluindo ISIS e da Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP) floresceram no caos. Os grupos assumiram cidades portuárias estratégicas e forçaram suas interpretações extremas do Islã sobre os residentes.

Publicidade

Em maio de 2015, AQAP proibiu o uso de “Gat”, uma folha narcótico que é amplamente consumida e o mascar da folha é considerado um passatempo nacional.

Em março de 2015 combatentes ISIS realizaram dois ataques suicidas que matou mais de 130 fiéis xiitas na capital do Iêmen, Sana'a. Desde então ISIS tem usado a guerra em curso no Iêmen, o país mais pobre do mundo árabe, para estabelecer bases nas cidades de Sana'a Aden, e na província de Hadramout.

De acordo com os números divulgados pelo ISIS, seus agentes em Sana teriam realizado 14 ataques, em comparação com sete em Aden e quatro em Hadramout. Como na Síria e no Iraque, o tipo mais comum de ataques é o atentado suicida. #Terrorismo #Ataque #Al Quaeda