Após visitar o México esta semana, o Papa Francisco expressou uma opinião nesta quinta-feira (18) a respeito do atual candidato à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump.

Para o Papa, Trump “não é cristão” por suas considerações acerca da imigração. De acordo com o candidato republicano, uma de suas ações, caso seja eleito, será construir um muro para isolar os Estados Unidos do México. As fronteiras entre os dois países são um dos elos mais fracos para a imigração ilegal, e grande parte de mexicanos, além de pessoas de outras nacionalidades, passam por lá todos os anos.

Para Francisco, um cristão de verdade não deveria ter a mentalidade de construir muros para isolar pessoas, e sim, criar pontes para unir os povos.

Publicidade
Publicidade

Após as declarações do Papa, Trump rebateu o pontífice dizendo que ele iria desejar que o candidato fosse o vencedor das eleições caso o Estado Islâmico atacasse o Vaticano. Além da ideia de construção do muro, Trump afirmou ainda que vai ser mais rigoroso com os imigrantes ilegais e que iria deportar milhares de pessoas que não se encontram na legalidades das leis norte-americanas.

Quando questionado se os americanos cristãos deveriam votar em Donald Trump, o Papa Franscisco disse: "Não vou me envolver nisso. Digo apenas que esse homem não é cristão se ele disse coisas como essas. Devemos ver se ele disse as coisas dessa maneira e nisso dou o benefício da dúvida".

Na missa de encerramento de sua visita ao México em uma cidade que faz fronteira com os Estados Unidos, o Papa criticou as políticas de imigração, afirmando que muitas pessoas acabam, em decorrência disso, sendo forçadas a ficar nas mãos de cartéis de drogas e de contrabandistas de pessoas.

Publicidade

Trump rebate o Papa

Sabendo das declarações da Papa, Donald Trump disse ser “vergonhoso” que um líder religioso questione a fé de alguém. Para finalizar a discussão, ele completou: "Se e quando o Vaticano for atacado pelo Estado Islâmico, o que todo mundo sabe que seria o seu troféu final, prometo a vocês que o Papa desejaria e rezaria para que Donald Trump fosse presidente, porque isso não aconteceria. O Estado Islâmico seria erradicado ao contrário do que está acontecendo agora com nossa conversa, nenhuma ação política". Trump disse ainda que se sente orgulhoso por ser cristão e que no seu possível mandato, não deixará o cristianismo ser tão enfraquecido como acontece atualmente.

O que você achou das opiniões do Papa e de Trump? Deixe sua opinião e clique abaixo em ‘recomendar’ para compartilhar esta notícia. #Religião #EUA