A semana de #Moda de Londres, London Fashion Week, começou nesta sexta-feira,19, e contou com uma estreia inesquecível. E isso não teve nada a ver com os looks das celebridades ou com as passarelas.

No primeiro dia do evento, três ativistas do grupo Peta (People for the Ethical Treatment of Pets), organização não governamental que luta pelos direitos dos #Animais, fez um protesto semi-nu contra o uso de pele de animais em roupas e acessórios.

Na imagem, é possível ver que as garotas usavam apenas calcinha, fita isolante, máscara de gás, e ainda carregavam uma placa escrita "pele é tóxica".

De acordo com os integrantes da ONG, o protesto contra o uso de peles vai muito além da morte dos animais, mas luta contra os maus tratos, exploração de animais e também contra a poluição.

Publicidade
Publicidade

O uso de peles implica no tratamento da mesma com produtos químicos que nem sempre são controlados ou descartados da maneira correta e sustentável pelas fabricantes de roupas e acessórios.

Além disso, os ativistas também lembraram da pesquisa realizada pelo Bremer Umwelt Institute, da Alemanha, que afirma que alguns casacos de pele e jaquetas de couro possuem altos níveis de substâncias cancerígenas em seus forros, inclusive nas linhas infantis.

Peta

People for the Ethical Treatment of Pets (pessoas pelo tratamento ético dos animais), é uma organização não governamental fundada em 1980 na Vírginia, Estados Unidos.

O grupo tem o seguinte lema: "Animals are not ours to eat, wear, experiment on, or use for entertainment". Em português: Animais não são nossos para comer, vestir, usar em experiências ou para entretenimento.

Publicidade

A ONG, além de promover protestos, também atua em investigações, pesquisas, resgates de animais e campanhas educativas a favor da causa.

Atualmente possui mais de 2 milhões de ativistas e possui um orçamento anual superior a 30 milhões de dólares gerados com arrecadações.

A Peta também gera divisões na comunidade defensora dos animais por seu posicionamento radical na luta contra atos abusivos e desnecessários de exploração de animais.

A ONG é contra o consumo de carne, leite, lã, couro, caça, pesca, zoológicos, circos, inclusive animais de estimação. #É Manchete!