Mevlut Cavusoglu, ministro dos negócios estrangeiros da Turquia, revelou durante a Conferência de Segurança de Munique, que a Turquia e a Arábia Saudita podem iniciar uma operação terrestre na Síria.

Nos últimos dias a Arábia Saudita disse que estaria disposta a invadir a Síria para lutar contra o Estado Islâmico desde que os Estados Unidos liderassem a operação. Segundo Mevlut, havendo uma estratégia pronta, os dois países podem iniciar uma grande operação terrestre contra o ISIS na Síria.

Para tanto, a Arábia Saudita já estaria enviando aviões de guerra para a base da Turquia. Mevlut não soube informar quantos aviões devem chegar à Turquia, mais afirmou que eles já ‘estão chegando’.

Publicidade
Publicidade

Com a expressão de ‘estratégia’ ficou subentendido que o país governado por Erdogan não pretende fazer a operação somente com a Arábia Saudita.

Na quinta-feira, 11, o primeiro ministro russo Dmitry, afirmou que se ocorresse uma invasão na Síria, uma nova grande guerra iria começar. Dmitry ainda sugeriu que as partes dispostas a invasão reflitam sobre suas possibilidades quase nulas de vencer uma guerra de tamanha proporção e orientou que eles negociassem a situação, evitando uma nova e permanente guerra.

No dia seguinte foi divulgado pela imprensa internacional que um acordo havia sido feito para ‘apaziguar’ os ânimos quanto a guerra na Síria, entretanto, a Síria teria uma semana para decidir que faria o cessar fogo ou não e em tese, nenhum país iria se mexer em #Ataque ou contra ataque até que algo fosse definido.

Publicidade

Entretanto, as movimentações internacionais não estão se mostrando muito amistosas com o sucesso desse acordo. O presidente da França, bem como a OTAN, se pronunciou como a favor da coalizão liderada pelos EUA, mas a Rússia também tem recebido apoio. Inclusive. Donald Trump elogiou a atuação da Rússia no combate ao ISIS e criticou as ações americanas. Com isso, mais uma vez o posicionamento de Trump foi contrário à velha política americana.

Deixe a sua opinião sobre esse cenário de tensão internacional nos comentários abaixo. #Terrorismo #Guerra Civil