Um terremoto de 6,4 pontos na Escala Ritchter que ocorreu por volta de 3:30h da manhã deste sábado matou aproximadamente 7 pessoas e deixou mais 400 feridas. As autoridades de Taiwan estavam tentando achar mais sobreviventes entre os escombros do residencial Wei Guan de 17 andares que não suportou os tremores e caiu afetando outros prédios do seu entorno, no bairro de YongKang, um dos aranha-céus da cidade de Tainan. Foi mobilizado, além de inúmeras equipes de bombeiros, o  exército nacional para ajudar na procura de sobreviventes.

Ainda nesta madrugada foram resgatados o corpo de uma 1 criança de 10 dias de idade, de uma mulher de 56 anos e de um homem de 40 anos, que estavam entre as vítimas fatais e 226 pessoas feridas de dentro do prédio, de acordo com o Jornal The New York Times. Outras vítimas, que estavam fora do prédio, foram atingidas pelos escombros.

Publicidade
Publicidade

Em outros pontos da cidade prédios foram atingidos, um deles, um complexo de escritórios, tombou e ameaça cair em cima de uma das vias mais movimentadas da cidade e um dos mercados de frutas e verduras teve a sua estrutura abalada e precisaram da ajuda dos bombeiros para resgatar pessoas, sem vítimas fatais. As equipes de resgate vasculham outras áreas da cidade à procura de outros edifícios afetados e outros possíveis sobreviventes, conforme noticiou o Jornal The Washington Post.

O epicentro do tremor foi mais ao sul de Taiwan a uns 35 quilômetros da cidade de Tainan, de acordo com o centro de Pesquisa Geológica do EUA. Há dois dias das comemorações da passagem do Ano Novo Lunar, os serviços trens de alta velocidade foram paralisados, deixando milhares de pessoas sem oportunidades de viajar em direção ao sul para que pudessem comemorar o ano novo com suas famílias.

Publicidade

Estes fatos lembraram a população Taiwanesa do #Terremoto ocorrido em 1999, que vitimou mais de 2.400 pessoas, entre milhares de feridos. o centro de Pesquisa Geológica do Estados Unidos informou que não existem possibilidades do tremor provocar um tsunami, conforme informações do Jornal de notícias online G1. #Comunicação