Grupo terrorista Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK em curdo), segundo fontes ligado ao PKK (partido dos trabalhadores do Curdistão), assumiu a responsabilidade do ataque a bomba que matou 28 pessoas em Ancara, capital da Turquia, na noite da última quarta-feira (17).

O grupo TAK disse ainda que o #Ataque foi uma resposta a política do presidente do país, Tayyip Erdogan, falaram ainda que os ataques continuarão.

De acordo com informações do próprio grupo terrorista, o executor do atentado foi um turco de 26 anos de idade, nascido na cidade de Van.

O governo da Turquia, durante a semana, tinha acusado o próprio PKK. Entretanto o partido havia negado qualquer envolvimento no ato terrorista.

Publicidade
Publicidade

O TAK – Falcões da Liberdade do Curdistão

O grupo luta pela independência do Curdistão, nasceu em 2004, atua no Iraque e na Turquia. De acordo com uma agência de notícias o grupo nunca havia realizado um atentado tão grave quanto o ocorrido quarta-feira.

Os curdos não têm um Estado próprio, a hostilidade entre Turquia e curdos contabilizam aproximadamente 40 mil pessoas mortas.

O ataque

Além dos mortos, ato terrorista deixou 61 pessoas feridas. O local do ataque era próximo tanto do parlamento turco quanto da Força Aérea, Guarda Costeira e Marinha. As autoridades turcas suspeitavam do PKK ser o responsável pelos ataques, mas consideravam a possibilidade também do ISIS ser o autor do atentado.

Logo após o ataque, um membro do governo turco disse que a resposta ao ataque será “feroz”. Um site de notícias havia noticiado que o Conselho Audiovisual da Turquia havia proibido os jornalistas de divulgarem imagens do local do atentado.

Publicidade

O Partido Karkerani Kurdistan – PKK

O partido dos trabalhadores é classificado pelos Estados Unidos e pela Turquia como um grupo terrorista. Em meados de 1990 alguns dos membros do partido sequestravam turistas e faziam ataques a todos os moradores que eram contra a ideologia do partido.

Os ataques que o PKK fez até o momento limitaram-se à Turquia, porém é comum que eles façam ataques terroristas contra exércitos que consideram como inimigos.

O TAK, antes do atentado, já era considerado pelas autoridades turcas como terrorista, juntamente com o PKK. #Terrorismo #Guerra Civil