Uma matéria publicada pelo site de notícias inglês Independent levanta uma polêmica sobre um documento emitido pelo Vaticano que orienta novos bispos a não procurarem as autoridades e a polícia para denunciarem casos de abusos sexuais ocorridos dentro da #Igreja católica.

O documento explica que denunciar casos cometidos por religiosos contra fiéis é uma questão crítica e que uma decisão legal deve partir da família da vítima, competindo aos bispos apenas procederem internamente seguindo os procedimentos canônicos, ou seja, atuarem junto aos canais católicos somente, evitando tratarem do assunto fora de seu campo de atuação. 

CONTROVÉRSIA 

O documento vai na contramão do que Papa Francisco anunciou recentemente, onde é preciso ter tolerância zero com abusadores dentro da igreja, criando inclusive a Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores.

Publicidade
Publicidade

O guia orientativo para novos bispos condiciona que onde a legislação não obrigar o relato de casos e crimes, os bispos não necessariamente precisam comunicar os acontecimentos. 

Outra matéria do site Crux Now que cobre exclusivamente questões católicas, destaca que o guia faz parte de um treinamento do Vaticano para novos bispos e que esta orientação compõe as ações da igreja junto com outros mecanismos de prevenção e proteção a criança, programa criado pela igreja que já recebeu desde 2002 cerca de 262 milhões de dólares somente nos Estados Unidos e que também é aplicado no mundo inteiro.

Além de exigir o conhecimento canônico, o curso acrescenta questões de detecção, prevenção e resposta em situações de como lidar com as vítimas, como proceder com padres acusados ou reincidentes, em identificar os indícios de abuso e executar ações em casos confirmados, baseando-se em experiências e orientações já utilizadas pela igreja.

Publicidade

PERDÃO

Em 2014 na Vaticano, o Papa Francisco pediu publicamente perdão as vítimas de abuso sexual cometido por membros da igreja. Em sua declaração, o pontífice destacou o triste papel da igreja de conveniência e omissão perante os casos de padres pedófilos em todo o mundo.

“Há muito tempo sinto no coração uma profunda dor, um sofrimento tanto tempo oculto, tanto tempo dissimulado com uma cumplicidade que não tem explicação. Diante de Deus expresso minha dor pelos pecados e crimes graves de abusos sexuais cometidos pelo clero contra vocês e humildemente peço perdão" - ressaltou Francisco. #Religião