A #Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que a situação envolvendo o zika vírus é uma emergência de nível global, e requer uma resposta conjunta de todos os países. A situação é tão urgente que a OMS colocou a epidemia de zika na mesma categoria de preocupação em que classifica o Ebola, um dos vírus mais letais existentes. Se a #Doença continuar a se espalhar, pode resultar em um cenário de consequências desastrosas.

O anúncio do status de “preocupação mundial” se deu nesta segunda-feira (1), em uma coletiva de imprensa realizada em Genebra, na Suíça, dada a provável relação entre o contágio pelo zika e o surgimento de casos em que crianças nascem com microcefalia.

Publicidade
Publicidade

Margaret Chan, diretora da Organização Mundial de Saúde, fez o seguinte pronunciamento: “Eu estou declarando que o recente conjunto de casos de microcefalia e outras anormalidades neurológicas relatadas na América Latina, seguindo um conjunto semelhante relatado na Polinésia Francesa em 2014, constitui uma emergência de saúde pública de preocupação internacional".

Microcefalia

A microcefalia é uma condição em que o bebê nasce com o crânio e o cérebro apresentando tamanhos menores do que seriam considerados normais, e consequentemente, a criança pode apresentar um quadro de déficit de desenvolvimento. Em alguns casos, a doença pode ser até mesmo fatal.

Assim como acontece com a dengue e a febre chikungunya, o mosquito Aedes aegypti é o disseminador do vírus zika, que passa a transmitir a doença de pessoa para pessoa somente quando se alimenta do sangue de um indivíduo já infectado.

Publicidade

Tanto pesquisadores quanto o governo brasileiro acreditam que o vírus tenha chegado ao país em 2014, por causa da Copa do Mundo de Futebol, pois na época, o Brasil recebeu um grande número de visitantes, alguns dos quais provenientes de regiões onde a doença é endêmica, como por exemplo, da África e da Oceania. Como a população brasileira não possui imunidade contra o vírus, pois é a primeira vez que se dá o contato, ainda não há vacina, e o mosquito transmissor já está presente em território nacional, a doença se espalhou com uma velocidade alarmante.

Ainda não há evidência científica conclusiva de que o zika esteja por trás do surto de microcefalia no Brasil e na América Latina, mas existem fortes evidências de que o vírus seja mesmo o responsável por causar a condição neurológica. A confirmação só virá após estudos e análises mais precisos. No entanto, Margaret Chan recomenda que sejam tomadas medidas de prevenção imediatamente, para impedir que o vírus continue a proliferar. #Zika Vírus