Fim de linha para Salah Abdeslam, terrorista que participou ativamente dos atentados contra Paris, no dia 13 de novembro de 2015. Nesta sexta-feira, 18 de março, o fugitivo foi encurralado pela polícia belga, na capital Bruxelas, em uma força-tarefa que o caçava desde a tragédia no coração da França. Ao mesmo tempo em que se passava a operação, do outro lado da cidade, ocorria um encontro da #União Europeia, para debater assuntos pertinentes sobre a imigração.

Segundo relatos de jornalistas que acompanharam o caso de perto, Salah Abdeslam, de 26 anos, um dos líderes do #Estado Islâmico na região, foi ferido durante o tiroteio, mas acabou mesmo sendo preso, o que é uma boa notícia.

Publicidade
Publicidade

Desta forma, as autoridades poderão obter mais informações sobre as células terroristas que atacaram Paris, deixando centenas de mortos e feridos. A procuradoria-geral da Bélgica confirmou as informações sobre a operação desta sexta-feira, dia 18 de março.

A área de Molenbeek - que vinha sendo investigada pela polícia e autoridades internacionais desde os atentados - foi cercada nesta tarde. Após serem informados de que Salah Abdeslam estaria nos arredores, o presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro belga, Charles Michel, abandonaram a reunião da União Europeia para acompanhar os desdobramentos dos fatos. Outras duas pessoas foram presas, segundo a imprensa local, o que dá um total de 12 envolvidos nesta célula do Estado Islâmico.

O irmão mais velho de Abdeslam se matou ainda em Paris, enquanto o caçula fugiu pela fronteira e ficou se escondendo na periferia de Bruxelas, cidade onde nasceu, durante quatro meses.

Publicidade

Considerado extremamente inteligente e estrategista, ele teria coordenado boa parte das ações realizadas em Paris, que acabou vitimando fatalmente 130 pessoas. A polícia descobriu seu paradeiro através de exames de DNA e impressões digitais recentes, quando as autoridades já acenavam com a possibilidade de que o jihadista tivesse fugido para a Síria com a ajuda de outros integrantes dos Estado Islâmico.

O atentado

No dia 13 de novembro de 2015, a França viveu a maior tragédia de sua história moderna. Em um ataque terrorista sem precedentes, integrantes do Estado Islâmico atacaram diversos pontos da capital Paris e deixaram um saldo de 130 pessoas mortas, em pontos marcantes da cidade. Apesar de a polícia ter conseguido conter o que poderia ter se tornado uma catástrofe maior ainda, o grupo terrorista afirmou que o ataque foi apenas o início de um processo de retaliação contra a Europa. O principal alvo dos jihadista foi a casa noturna Bataclan, onde 103 pessoas perderam suas vidas. #Terrorismo