Neste domingo, dia 13 de março, mais um ato contra a humanidade acendeu o sinal de alerta na Europa. Um atentado na Turquia marcou uma nova ação terrorista no coração do país, que está sendo alvo de diversas atos comandados por grupos extremistas. Um carro-bomba explodiu na capital Ancara, deixando pelo menos 27 mortos e mais 75 pessoas feridas, em pouco menos de um mês antes de um ataque semelhante ter matado 29 pessoas também em Ancara.

Apesar de, por enquanto, nenhum grupo terrorista ter assumido as responsabilidades pelo ataque deste domingo, as autoridades turcas acenam com a possibilidade de militantes curdos terem participado da ofensiva, já que eles foram os autores da atrocidade cometida no último dia 17 de fevereiro.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, o #Estado Islâmico tem bombardeado a Turquia desde meados de 2015, declarando uma guerra sem fronteiras contra os turcos.

O carro-bomba utilizado neste atentado explodiu próximo de importantes prédios de órgãos governamentais. Um tribunal e os Ministérios da Justiça e do Interior, que estavam com ampla circulação de pessoas no horário do ataque, por volta das 18 horas (horário local), seriam os alvos dos terroristas, segundo a televisão estatal TRT.

Uma grande nuvem de fumaça se formou e o barulho produzido pela bomba se estendeu num raio de quase três quilômetros. Além do carro-bomba, autoridades asseguram que houve tiroteio nas cercanias do foco do atentado. O veículo utilizado pelos terroristas teria batido contra um ônibus, perto do parque Central Guven e da Praça de Kizilay.

Publicidade

Apesar de nenhum grupo extremista ter reivindicado a ação, é muito provável que tal ato tenha sido uma retaliação após a Turquia ter realizado um acordo com a União Europeia, nesta semana. A UE prometeu fortalecer os turcos com um aporte estimado em US$ 3 bilhões para impedir que imigrantes ilegais entrem na Europa partindo pelo Mar Egeu, tomando a rota do Mar Mediterrâneo, que banha a Grécia e a Itália. A Turquia se comprometeu a ser mais firme contra os clandestinos e a fortalecer suas autoridades marítimas. Além disso, exige o ingresso imediato na #União Europeia e menos burocracia para a livre circulação de seus cidadãos pelo continente.  #Ataque Terrorista