O drama dos #Refugiados de uma das guerras mais covardes da história da humanidade, parece não ter fim. Todos os dias milhares de refugiados sírios, colocam suas vidas em risco na travessia pelo mar Egeu, entre a Turquia e a Grécia. Vale ressaltar que centenas de refugiados também partem  das áreas em conflito na África e do Iraque. O jornal Folha de S. Paulo, trouxe uma reportagem, no domingo (20), mostrando o cemitério dos afogados, na Turquia.

O cemitério é o destino final de centenas de pessoas que morreram na travessia

O cemitério turco Dogancay, criou um local especial para receber as centenas corpos, daqueles que morreram afogados tentando atravessar o mar Egeu, entre a Turquia e a Grécia.

Publicidade
Publicidade

Já foram sepultados na área reservada aos afogados, 530 corpos, deste total metade são crianças.

O que mais chama a atenção entre os sepulcros, são os 130 túmulos, onde há apenas um cravo vermelho e uma plaquinha com um número. Infelizmente estes mortos não puderam ser identificados e não houveram parentes que reclamassem pelos corpos.

O Imã Ahmet Altan, afirma que " todos os dias chega mais um, são famílias inteiras que morrem no mar". Ele aponta para os túmulos de números 41.622 e 42.185, onde crianças foram enterradas recentemente, na área do cemitério, destinada a crianças com menos de dois anos.

Mesmo correndo risco de morte, os refugiados tentam chegar a Europa

Embora a Otam - Aliança Militar do Ocidente, tenha intensificado a fiscalização no mar Ebreu, na rota mais usada pelos refugiados, entre a Turquia e Grécia, todos os dias centenas de pessoas, famílias inteiras se arriscam em pequenos botes, para fazer a travessia rumo ao "paraíso" europeu.

Publicidade

Em busca de uma vida melhor

Somente neste ano, até o dia 17 de março, estima-se que 144.899 refugiados, chegaram até a Grécia e que 362 pessoas morreram afogados na travessia, segundo informações dadas pela Organização Internacional de Migrações. 

O que assombra é o aumento do número de refugiados, neste mesmo período no ano passado, apenas 10.535 pessoas fizeram a travessia. Em 2015 aportaram na Grécia 853.650 refugiados, a maioria eram sírios, afegãos e iraquianos. No ano passado 3.771 pessoas morreram afogadas na travessia dos desesperados. #Crise #Crise migratória