Um português, que é considerado uma das testemunhas mais importantes para as autoridades francesas, garantiu que deu sinais de luzes para avisar o jovem para não fazer a ultrapassagem, mas que ele simplesmente não ligou, nem respondeu. Em entrevista ao canal “RTP”, o motorista português, que viajava com a sua viatura poucos metros atrás dos dois micro-ônibus que estão causando polêmica, garantiu que, apesar de não estarem em grande excesso de velocidade, a ultrapassagem foi muito arriscada e mal calculada. Apesar do aviso prévio, a reação do jovem foi em tentar mesmo assim a ultrapassagem, não tendo sido suficientemente rápido.

No dia em que o dono das viaturas e responsável pela empresa ilegal de transportes, bem como o jovem motorista português de 19 anos, vão responder pela primeira vez ao interrogatório das autoridades francesas, uma nova testemunha ocular garantiu que fez o possível para evitar o desastre, mas que simplesmente o jovem não respondeu ao seu aviso, avançando mesmo assim para a ultrapassagem.

Em entrevista ao canal “RTP”, e sem mostrar o seu rosto ou dar a sua identificação, uma das principais testemunhas do caso falou sobre os momentos antes da tragédia, garantindo que as viaturas não estavam circulando muito acima da velocidade autorizada daquela estrada, mas que as ultrapassagens podiam ser potencialmente perigosas.

Publicidade
Publicidade

Foi precisamente em um desses casos que, por falta de experiência ou então por calcular mal o espaço, o jovem motorista ignorou os sinais de luzes da viatura do imigrante português e arriscou a ultrapassagem de uma forma louca.

Como resultados, todos os passageiros presentes na viatura, tirando o motorista, morreram com o impacto frontal contra um caminhão que estava circulando na outra faixa de rodagem e que não teve tempo algum de evitar o choque. Depois de quase uma semana a recuperar do choque inicial de uma das maiores tragédias da história da comunidade imigrante portuguesa, resta agora aguardar pelo resultados dos interrogatórios feitos ao jovem e também ao seu tio, dono das viaturas, para se perceber todos os detalhes horrendos que se passaram na noite da passada quinta-feira. #Europa #Investigação Criminal #Emigração