A CNN revelou essa semana, em sua edição online, como um grupo de militares está trabalhando para investigar e apanhar pedófilos nos Estados Unidos, o grupo chama-se HERO (herói em português) e já contribuiu para flagrar centenas de pedófilos e para evitar milhares de estupros e outros tipos de abusos sexuais.

O grupo HERO é composto por militares em fim de carreira, todos eles homens que participaram em várias guerras, do Afeganistão ao Iraque. Todos esses militares têm, além da sua carreira brilhante, algo mais em comum, todos eles foram vítimas de ferimentos em combate, lesões que fizeram com que a sua vida mudasse completamente.

Publicidade
Publicidade

Agora, em Largo, na Flórida, cidade onde o grupo tem a sua sede, os antigos especialistas no terreno, enfrentam uma nova missão. Eles são treinados para investigar pedófilos através da internet. A sua missão é simples mas difícil, em ações online, eles procuram internautas suspeitos, entram em seus computadores e procuram imagens, vídeos ou documentos que comprovem ações de pedofilia.

J. Christian, um antigo militar que é atualmente o responsável pela HERO, falou à CNN e revelou alguns dados verdadeiramente chocantes. O CEO da organização explicou que os Estados Unidos são o maior produtor de pornografia infantil do mundo, sendo o país que abriga mais sites comerciais relacionados com esse tema.

Christian falou ainda sobre algumas estatísticas, segundo ele, mais de 300 mil computadores são investigados pela HERO todos os anos e, em cerca de 55% dos mesmos, é encontrado material relacionado com pedofilia que pode ir de uma simples fotografia até vídeos de estupros horríveis.

Publicidade

O projeto HERO não tem como único objetivo encontrar pedófilos ou salvar crianças que podem vir a ser vítimas de estupro. As forças armadas americanas pretendem também com essa organização, ajudar soldados vítimas de lesões durante a guerra. Um dos homens que participa no HERO é o Sargento Block, um militar altamente especializado que viu a sua vida mudar completamente depois de ter sido vítima de uma explosão.

Block foi também entrevistado pela CNN e explicou que para ele, esse projeto onde tenta caçar pedófilos, mudou a sua vida para melhor. Ele, embora tenha dificuldades em passar o dia olhando para um computador, se sente útil na sua nova missão e acredita que vale a pena o sacrifício, uma vez que impede todos os dias que crianças sejam usadas ou abusadas sexualmente.

O que você pensa sobre essa iniciativa das Forças Armadas americanas?! Acha que no Brasil deveria existir uma organização que fizesse o mesmo trabalho? Conte a sua opinião nos comentários. #Crime #EUA #Casos de polícia