O #Estado Islâmico reivindicou novamente os atentados em Bruxelas, garantindo que o que vai a seguir vai ser muito pior para os europeus. Como foi publicado pelo site  “Notícias ao Minuto”, em um longo vídeo onde o chefe de operações do maior grupo terrorista do mundo é protagonista, o terrorista explica que a #Europa não aprendeu com os ataques realizados o ano passado em Paris e, por isso mesmo, sentiram a necessidade de enviar outra mensagem em Bruxelas. O radical terrorista garantiu aos milhões de europeus, que estão de luto pela morte de 31 pessoas na capital belga na última terça-feira, que eles ainda matarão muitas pessoas.

Assim como já tinham garantido no passado, o maior grupo terrorista do mundo não tenciona abrandar nas suas intenções de atacar o coração da Europa, tentando ao máximo se vingar por o que a coligação internacional tem feito nos últimos meses na Guerra na Síria.

Publicidade
Publicidade

O Estado Islâmico tenciona terminar com a religião católica na Europa até 2020.

A razão para atacar a Europa, segundo o chefe de operações dos radicais, é para responder aos contantes bombardeios realizados pela Europa, mas também pelos Estados Unidos, que tem como principal objetivo limitar e reduzir o poder do grupo no país. Por isso mesmo, e em uma resposta que é inédita na Europa, o Estado Islâmico pretende com os seus ataques que os europeus sintam o sofrimento que também eles estão sofrendo no seu país e, por isso mesmo, tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, consideram que Bruxelas foi uma “amostra” do que pretendem fazer em um futuro próximo.

Como tinha acontecido depois dos atentados de Paris, o grupo, tentando aproveitar o ambiente de medo e pânico que se está fazendo sentir no coração da Europa, tem feito constantes ameaças a apenas um local: o território europeu, sendo que as autoridades estão mais atentas que nunca para tentar evitar possíveis atentados, principalmente em Paris e Bruxelas, onde duas das maiores células do grupo estão sediadas.

Publicidade

Ainda por causa dos atentado de Bruxelas, a polícia belga e francesa procuram há vários dias o paradeiro do único responsável pelas 31 mortes que ainda continua vivo e em fuga. #Terrorismo