É um dos crimes mais chocantes desse ano. Na Itália, dois homens de 29 anos estão sendo acusados de terem espancado e assassinado um rapaz de apenas 23 anos. Os dois teriam saído para a noite, na sexta-feira, já pensando em encontrar alguém "para matar". A ideia é macabra e, ainda por cima, essa morte foi bem planejada. Por essa razão, caso se confirme que foram eles os autores, eles podem pegar cadeia perpétua.

"Queríamos matar para ver o efeito"

Os dois jovens saíram para a rua já com o objetivo de encontrar uma vítima. Luca Varani, de 23 anos, é um jovem de ascendência iugoslava, mas que foi adotado por uma família italiana.

Publicidade
Publicidade

Os jovens teriam trocado conhecimentos e teriam ido junto para casa de um dos suspeitos. 

Chegados no apartamento de Manuel Foffo, filho de um conhecido grande empresário de Roma, teriam sido cometidas várias atrocidades contra o jovem Luca. A polícia acabaria por encontrar o corpo do homem, sobre a cama, completamente despido e com várias marcas de agressões no corpo. O jovem tinha cortes por todo o corpo, sinais de estrangulamento com uma corda no pescoço e com a cabeça ferida com um martelo, em um cenário macabro. 

No entanto, como os vizinhos não escutaram nada, se suspeita que eles poderiam ter dado alguma substância que adormeceu o homem, para que ele não gritasse nem se defendesse das agressões. Possivelmente, teria sido uma bebida para que ele ficasse sem reação, uma questão que a autópsia poderia resolver. 

Marc Prato, o outro suspeito desse #Crime, falou que o amigo, Foffo, já conhecia a vítima e, por esse motivo, teria sido fácil convencê-lo a ir para seu apartamento. "Nós queríamos matar alguém só para ver o efeito", contou Marc Prato para a polícia.

Publicidade

Após esse crime horrendo, o suspeito tentou cometer suicídio e foi encontrado após tomar uma grande quantidade de remédios com álcool. Foi hospitalizado mas, entretanto, já foi transferido para uma prisão. 

O outro suspeito, Manuel Foffo, ainda negou as acusações. Aconselhado pelos advogados do pai, o jovem teria falado primeiro que estava embriagado e drogado e não se recordava de nada. Mais tarde, teria, no entanto, alterado seu testemunho. 

De acordo com o jornal espanhol El Mundo, os dois suspeitos podem passar o resto da vida na prisão.  #Justiça #Violência